Campo

Foto: Lenito Abreu

O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento - Mapa, oficializou, o status internacional de zona livre da aftosa, já reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), aos estados do Maranhão e Piauí, fronteiriços com o Tocantins, através da Instrução Normativa nº 16 divulgada no Diário Oficial da União.

A normativa contempla ainda Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e a região norte do Estado do Pará. "Com a certificação internacional, o gado desses Estados se igualam sanitariamente aos bovinos do Estado do Tocantins, que já possuem esse reconhecimento e permite que o trânsito interestadual de animais seja feito com tranquilidade, pois temos a garantia da saúde dos rebanhos destes estados", explicou a Diretora de Educação, Inspeção e Sanidade Animal da Agência de Defesa Agropecuária - Adapec, Leila Pessoa.

Ainda segundo Leila Pessoa, esse status sanitário faz com que o Tocantins tenha uma vantagem competitiva importante. "O nosso rebanho de bovinos e bubalinos supera oito milhões de cabeças, e nossa produção de carne de qualidade pode ser exportada para mais de 130 países. Com essa normativa, temos a segurança da proteção sobre o rebanho tocantinense com a faixa de fronteira  e a partir disso, nossa meta é atrair mais investidores", afirmou.

Para o responsável pelo Programa Estadual de Erradicação de Febre Aftosa, João Eduardo Pinto Pires, é através de ações coordenadas com os estados vizinhos que a erradicação da doença torna-se possível. "Essa parceria envolvendo produtores, governo federal e estadual é fundamental".

Conquistas

Além do reconhecimento internacional de zona livre da aftosa, o Estado do Tocantins alcançou os maiores índices de vacinação contra a febre aftosa nas duas etapas anuais de 2013, ultrapassando 99% do rebanho imunizado. (Ascom Adapec)