Polí­cia

A Polícia federal fez uma averiguação in loco na sede do Incra em Palmas em busca de provas e documentos que possam comprovar uma denuncia de falsificação de documentos do Instituto e ainda a negociação ilegal de lotes por parte de uma ex-servidora. Segundo o Conexão Tocantins apurou a acusada é uma ex-servidora terceirizada do órgão.

O atual Superintendente Regional, Ruberval Gomes explicou ao Conexão Tocantins que a denuncia foi feita pelo órgão após ao relatos de vários assentados que teriam sido lesados pela ex-servidora. “Essa ex-servidora do Terra Legal falsificou documentos do INCRA e até minha assinatura negociando lotes na região de Taquaralto e Taquarucu em Palmas. Fizemos a denuncia e a PF e está em busca de alguns documentos”, contou.

 A servidora foi demitida logo após a suspeita. O Incra não sabe estimar ainda quantos lotes teriam sido negociados através de tal prática ilegal. “ Não temos essa dimensão ainda mas pelas informações ela negociava prometendo assentar as pessoas nos lotes vagos e as vítimas que não foram assentadas procuraram o Incra, a ouvidoria pegou as declarações e encaminhamos para a Polícia Federal”, frisou.

O nome da ex-servidora investigada ainda não foi revelado e as averiguações continuam.