Polí­tica

Foto: Divulgação

O presidente da Comissão de Saúde, Meio Ambiente e Turismo da Assembleia Legislativa do Tocantins, deputado Marcelo Lelis (PV), participou na tarde desta última sexta-feira (18) de reunião do Conselho Estadual de Saúde que tratou da terceirização da gestão do Hospital Regional de Araguaína (HRA).

Marcelo Lelis se manifestou contrário ao projeto de terceirização do Hospital de Araguaína e criticou a pressa do Governo de querer colocar o projeto em prática sem que haja uma ampla discussão sobre o assunto. “Estamos num momento muito ruim para que o Governo leve esse projeto adiante. A Assembleia está de recesso, por isso a proposta do Governo não poderá ser discutida na Comissão de Saúde, um ambiente legítimo em que poderíamos ampliar o debate com os deputados. Além disso, o Governo está querendo implantar um projeto como esses num final de mandato, às pressas, sem uma análise aprofundada sobre esse assunto, que é muito sério. Estamos falando em milhões de reais dos cofres públicos que serão empregados nesse sistema que já demonstrou não ter dado certo no passado”, pontuou Marcelo Lelis.

O presidente da Comissão de Saúde da Assembleia lembrou do desastre que foi o projeto de terceirização da Saúde do Estado implantado pelo Governo há alguns anos.  “O Governo já errou uma vez com a terceirização da saúde e quer errar de novo. Foi uma experiência desastrosa. Na época foram apresentados os mesmos gráficos e relatórios estatísticos falando sobre a melhoria que aconteceria com a terceirização, da mesma forma que estão fazendo agora, mas a população sentiu na pele o caos que se tornou a saúde no Tocantins. Admito que na época eu acreditei na proposta apresentada que sinalizava que a saúde ia melhorar com a terceirização, o que me levou a errar e votar pelo projeto na Assembleia. A população não pode pagar novamente por ações equivocadas do Governo”, considerou Lelis.  

O tema gerou polêmica e muita discussão entre os membros do Conselho. Para a presidente do Sindicato dos Médicos do Estado do Tocantins (Simed), Janice Painkow, a proposta de “gestão compartilhada” a que o Governo se refere é apenas para mascarar a terceirização da saúde. A presidente do Simed diz que o Governo do Estado quer implantar o projeto de terceirização da saúde de forma “sorrateira”, escondendo dos conselheiros de saúde uma decisão já tomada. Janice Painkow alegou que o Governo demonstra que já vinha trabalhando por esse projeto há algum tempo. Ela lembra que o Conselho já teve uma reunião com os representantes da empresa, mas que em nenhum momento o Governo disse que estava pensando na terceirização do Hospital de Araguaína. “Essa intenção (de terceirização do Hospital) foi escondida dos conselheiros. Já tivemos outras reuniões e nunca se falou nada sobre o assunto”, questionou Janice Painkow.

Marcelo Lelis chamou todos os membros do Conselho a uma reflexão sobre o modo que o Governo quer implantar o projeto e as consequências de se aprovar uma medida com uma experiência de fracasso, como foi a terceirização implantada no Tocantins há alguns anos.