Economia

Foto: Divulgação

Com um aumento de 14,7% em relação ao período anterior, o Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015 tem R$ 24,1 bilhões para investir em crédito rural em todo o País. Desse total, o Banco da Amazônia é o responsável pelo gerenciamento de R$ 700 milhões, recursos que serão carreados para custeio, investimento e a comercialização de produtos agrícolas nos Estados da Amazônia Legal, especificamente aos agricultores familiares atendidos pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

 Para o Tocantins, os investimentos previstos totalizam R$ 100,8 milhões, um aumento de mais de 10 % em relação à meta proposta no Plano Safra anterior, quando o Banco planejava alocar R$ 90,7 milhões no Estado. “Investimos no Tocantins R$ 94,8 milhões no Plano Safra 2013/2014. Como batemos a meta, os recursos foram ampliados. Agora é ir em busca dos agricultores e, assim, superarmos as expectativas mais uma vez”, relata Pedro Paulo Busatto, superintendente do Banco da Amazônia no Tocantins em exercício.

 No Estado, os investimentos do Plano Safra da Agricultura Familiar 2013/2014 foram destinados, principalmente, para o aprimoramento do gado leiteiro, do gado de corte e à cultura da mandioca, sendo realizadas pelo Banco da Amazônia, no período, 2.881 operações. Entre essas está a do casal de agricultores José e Anir Mendes, que são donos de uma propriedade rural de 8 hectares no município de Porto Nacional, município localizado a 52 quilômetros de Palmas.

 O casal Mendes cria ovelhas e galinhas caipira, que servem para abastecer a capital tocantinense. Clientes do Banco da Amazônia desde o ano de 2007, José e Anir Mendes foram financiados com R$ 65 mil do Plano Safra, recursos da Linha Pronaf Mais Alimentos, que serviram para a ampliação de galinheiros e à reforma do pasto dos ovinos. “Com as melhorias feitas, queremos aumentar nossa produção. Sem dúvida, este financiamento foi fundamental para nós”, afirma Anir Mendes.

 Linhas de Financiamentos

 O Plano Safra 2014/2015 traz algumas novidades para os agricultores familiares que desejam investir na propriedade rural. Foram criadas linhas específicas para o financiamento da área, como o Pronaf Produção Orientada, uma linha de crédito voltada para produção sustentável de alimentos, com foco nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Direcionado para projetos de sistemas agroflorestais, convivência com o Semiárido, agroecologia e produção de alimentos, o Pronaf Produção Orientada tem limite de investimento de até R$ 40 mil.

 Outra novidade é o Pronaf Agroecologia, voltado ao crédito para custeio de sistemas de produção agroecológica e orgânica. As taxas dessa linha são diferenciadas, chegando a 1% ao ano para produtores que querem investir na transição agroecológica. Há, ainda, o Pronaf Jovem, com ampliação do limite de acesso de uma operação de R$ 15 mil para três operações de até R$ 15 mil para jovens agricultores com idade entre 16 e 29 anos; e o Microcrédito Produtivo Orientado, com ampliação do limite de R$ 3,5 mil para R$ 4 mil por operação, com bônus de adimplência de 25%.