Campo

Foto: Antônio Neves

Entre os dias 28 julho  e 1º de agosto os profissionais do setor de Olericultura de todo o Brasil estarão em Palmas discutindo os avanços de ordem tecnológica, comercialização e as demandas do setor dentro da programação do Congresso Brasileiro de Olericultura que abordará também os rumos da produção de hortaliças no Tocantins. 

Além de sediar o 53º Congresso Brasileiro de Olericultura (CBO), a Prefeitura de Palmas, através da Secretaria de Desenvolvimento Rural (Sedes), irá apresentar o painel sobre compostagem orgânica em palestra proferida pelo secretário Roberto Sahium. O Município vem desenvolvendo ações no sentido de aumento e melhorar a qualidade de hortaliças produzidas através das hortas comunitárias com a doação de composto orgânico aos horticultores.  

De acordo com o secretário Roberto Sahium, a  medida gera dois fatos positivos, econômico e ambiental, já que a compostagem nada mais é do que o reaproveitamento  de galhadas e folhas que teriam o lixo como destino. “Esta ação vem gerando resultados positivos, porque além da qualidade dos produtos que consumimos advindos destas hortas, o custo de produção é bem mais baixo”, disse Sahium, acrescentando que no dia 30, das 8 às 18 horas, irá ministrar um mini curso sobre orgânico e compostagem, no auditório lll, da Universidade Federal do Tocantins (UFT). 

Compostagem

Um dos maiores desafios da humanidade é destinar de maneira adequada e correta o lixo produzido diariamente nas grandes cidades, pequenos povoados e até mesmo na zona rural. Preocupada em reutilizar galhadas, folhagens e gramíneas com ganhos econômicos e sociais para os palmenses, a Prefeitura de Palmas implantou em 2013 o Núcleo de Compostagem que tem chamado a atenção de moradores, empresas e autoridades graças ao excelente desempenho na sua utilização como adubo orgânico e também pelo ganho ambiental da prática. 

O objetivo do Núcleo de Compostagem é transformar em adubo orgânico todas as galhadas de podas de árvores, gramas e demais folhagens oriundas da área urbana de Palmas e então transformá-las em adubo.

De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Rural até o momento mais de 2.400 toneladas de galhadas já foram trituradas e transformadas em 1600 toneladas de material que encontram-se em decomposição com o uso de um composto orgânico para transformá-lo em adubo. 

Congresso

O congresso acontecerá no campus de Palmas, com vasto programa, envolvendo palestras, curso, apresentação de trabalhos e mesas redondas. De acordo com a presidente do Congresso, a Profa. Dra. Valéria Momenté, cerca de 90% das hortaliças consumidas em Palmas e no restante do estado são de outras regiões, principalmente dos estados de Goiás, Distrito Federal e São Paulo. “Essa realidade precisa ser mudada. É possível cultivar hortaliças com qualidade e a preços competitivos no Tocantins”, diz. 

A solenidade de abertura ocorrerá no dia 28, às 19h, no auditório Cuíca (UFT) com a palestra “História da Olericultura no Tocantins”, ministrada pelo agrônomo e reitor da UFT, Prof. Dr. Márcio da Silveira.  O foco das discussões serão as possibilidades e alternativas que possam contribuir para diminuir a dependência do Estado do Tocantins de hortaliças vindas de outros estados. (Secom Palmas)