Saúde

Foto: Divulgação

O Sindicato dos Médicos do Estado do Tocantins (Simed), informou nesta segunda-feira, 4, que os médicos lotados no Hospital Geral de Palmas decidiram em assembleia extraordinária que o atendimento será interrompido a partir de 18 de agosto.

A decisão do corpo clínico estaria se dando em função do Governo do Estado não ter atendido reivindicações da categoria. Entre as cobranças, os médicos querem que o Estado contrate imediatamente profissionais para completar o quadro de plantonistas.

Os médicos querem ainda a adequação das condições de trabalho não deixando faltar materiais e nem medicamentos. Segundo o sindicato, em caso de novas faltas os médicos irão encaminhar os pacientes para tratamento em outro Estado.

Os médicos informam ainda que a escala de atendimentos estão completas até o dia 18 de agosto, mas que a partir daí a responsabilidade será da Secretaria Estadual da Saúde.

NOTA À POPULAÇÃO

Os médicos lotados no Hospital Geral de Palmas, em assembleia extraordinária do corpo clínico no dia 29 de julho, decidiram informar à sociedade tocantinense que o atendimento será interrompido a partir do dia 18 de agosto, porque o governo estadual, ignorando os sucessivos alertas da classe médica, não adotou as seguintes medidas:

a) a contratação imediata de profissionais para completar o quadro de plantonistas, sendo que os pedidos encaminhados à Secretaria da Saúde em abril de 2014 não foram efetivados;

b) a adequação das condições de trabalho não deixando faltar material e medicamentos. Em caso de novas faltas os médicos irão encaminhar os pacientes para tratamento fora do Estado;

c) a regularização dos débitos pelos serviços extraordinários já realizados e das indenizações autorizadas legalmente.

A classe médica esclarece que as escalas de atendimento estão completas até o dia 18 de agosto. A partir desta data, sem os médicos em plantões extraordinários, a responsabilidade pelo atendimento será da Secretaria Estadual da Saúde.

Informa ainda que todos estes fatos já foram comunicados ao Ministério Público Federal e Estadual, Conselho Regional de Medicina e órgãos competentes. 

Sindicato dos Médicos no Estado do Tocantins

Janice Painkow - Presidente 

Por: Redação

Tags: Hospital Geral de Palmas, Simed