Campo

Foto: Divulgação

Dos dias 13 a 15 de agosto, o Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual da Agricultura e Pecuária (Seagro), em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) e com a Prefeitura Municipal de Nova Olinda, realizará uma capacitação sobre boas práticas de processamento em apicultura. A capacitação está sendo preparada pelos técnicos dos órgãos envolvidos. O evento será iniciado no turno da tarde na Casa do Mel de Nova Olinda, a 310 km de Palmas, se estendendo até às 18h.

A capacitação é destinada aos apicultores que já possuem a Casa do Mel em seus municípios. A Casa de Nova Olinda foi inaugurada em maio de 2013, com a realização do primeiro curso focado na teoria das práticas de processamento em apicultura. A ideia agora é apresentar a parte prática com o objetivo de alcançar a manipulação adequada do mel, com a capacitação que deve seguir as condutas relacionadas principalmente à higienização e mantimento do produto final.

Para a médica veterinária da Seagro e coordenadora do Projeto de Apicultura, Érika Jardim, diante da demanda crescente do Tocantins, as capacitações são sempre válidas e muito positivas para o crescimento dos produtores de mel do Estado. “O ideal é após esta capacitação, deixarmos um sistema de manual com o passo a passo para que os produtores realizem o processo adequado de manipulação do mel”, ressalta Érika.

Aliança

Após o término do curso em Nova Olinda, a Seagro irá apresentar o mesmo módulo da capacitação de boas práticas de processamento em apicultura, no município de Aliança, a 181 km de Palmas, nos dias 21 e 22 de agosto.

Casa do Mel

Construídas com recurso da Fundação Banco do Brasil, as Casas do Mel foram instaladas pela Seagro, em parceria com a Federação Tocantinense de Apicultores (Fetoapi). O objetivo é viabilizar o Selo de Inspeção Federal (SIF), já que com o selo inserido nos produtos, o consumidor tem mais confiança ao comprar o mel que foi manipulado dentro dos padrões de qualidade exigidos e, consequentemente, o produtor tem mais valorização e reconhecimento vendendo um produto que é certificado. Em 2013, foram produzidas 210 toneladas de mel e para este ano a Fetoapi tem a expectativa de dobrar a produção. (Ascom/Seagro)