Saúde

Foto: Divulgação

Tendo em vista as recentes notícias de que refeições de baixo teor nutricional e até mesmo alimentos estragados estariam sendo servidos no Hospital Regional de Araguaína e na Casa de Apoio Glória Morais, o Ministério Público Estadual (MPE) encaminhou ofício ao secretário estadual da saúde, Luiz Antônio da Silva Ferreira, e à diretora daquela unidade hospitalar, Jane Augusto Gonçalves, requerendo que sejam tomadas providências para solucionar o problema.

Nos ofícios, o Promotor de Justiça Alzemiro Wilson Peres Freitas, além de requerer informações quanto às medidas adotadas para garantir a qualidade necessária das refeições, também solicita que sejam disponibilizadas cópias dos contratos firmados com as empresas que fornecem a alimentação e cópias de documentos que comprovem o valor aplicado neste serviço em 2014.

A ação do Ministério Público é baseada em notícias recentes de que têm sido fornecida aos pacientes, acompanhantes e servidores do Hospital Regional de Araguaína e da Casa de Apoio Glória Morais uma alimentação precária, contendo apenas arroz, ervilha e apresuntado. Há relato também de que, em março, teria sido servida comida imprópria para o consumo humano.

Sesau

A Secretaria Estadual da Saúde (Sesau) informou por meio de nota que houve uma redução da diversidade do cardápio alimentar oferecido em suas Unidades Hospitalares, devido a problemas no abastecimento dos estoques da empresa responsável pela alimentação dos hospitais.

A Sesau ainda informou que já acionou o fornecedor, e o mesmo está restabelecendo todos os produtos servidos.