Economia

Foto: Antonio Gonçalves

Identificar e consolidar os principais atrativos turísticos da região oferecendo capacitação, planejamento, gestão e divulgação das belezas naturais existentes no vale, esse é o objetivo do Projeto de Estruturação do Pólo Turístico de Taquaruçu que teve assinatura de convênio com o Serviço Nacional de Apoio a Micro e Pequenas Empresas (Sebrae –TO), destinado a implantação, assinado na manhã desta terça-feira, 12, no Gabinete II. 

O projeto será desenvolvido de 2014 a 2017. São dezenas de cachoeiras, trilhas, fauna e flora diversificada existentes no Pólo Turístico de Taquaruçu o que lhe confere condições para se tornar o principal destino do Ecoturismo do Tocantins.

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha, destacou a participação do Sebrae no projeto.  “Nós escolhemos o melhor parceiro. O Sebrae é uma instituição reconhecida mundialmente. Possui especialistas no assunto e vai nos ajudar a desenvolver as potencialidades da região e consolidá-la no segmento do ecoturismo”. O gestor falou do momento que o Distrito de Taquaruçu vive. “Este é um momento histórico para Taquaruçu, inicia-se a profissionalização turística local com foco no crescimento econômico e qualidade de vida da comunidade. Temos investido para que a comunidade possa viver melhor e, ao mesmo tempo, receber bem pessoas do Brasil e do mundo”, afirmou Amastha.

O presidente da Agência Municipal de Turismo (Agtur), Cristiano Rodrigues, falou das atividades a ser desenvolvidas pelas equipes da Prefeitura e Sebrae durante a implantação do Pólo. “Temos um cronograma de quatro anos de atividades onde realizaremos treinamentos/capacitações e investimentos estruturais em parceria com a comunidade local. Não adianta implantar o Pólo Turístico se não houver participação dos moradores. É preciso que haja sentimento de pertencimento na comunidade”, frisou Rodrigues.

De acordo com o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Tocantins, Roberto Pires, a instituição “vê com bons olhos este projeto e sabe da relevância do mesmo para a região em que está inserido”. Sobre os investimentos da ordem de R$ 5 mi, Roberto Pires afirmou que a maior parte dos recursos será empregada em capacitação visando ofertar serviços de excelência aos visitantes. “O Ecoturismo está em plena expansão com faturamento de R$ 260 bilhões anuais no mundo inteiro. Nossa intenção é capacitar 250 micro empreendedores que atuarão com restaurantes, pousadas, guias turísticos e outros”, explicou Pires.

A moradora e presidente da Associação Água Doce-Movimento de Proteção ao Córrego Taquarussu Grande, Noeli Maria Sturmer, falou aos presentes e agradeceu à gestão municipal pelo projeto. “Esta é também uma forma de viabilizar a proteção do maior bem natural da nossa região que é o córrego Taquarussuzinho. Junto com projetos como este vem também a conscientização ambiental”, afirmou Sturmer.

Diagnóstico

A primeira etapa do projeto será a realização de um diagnóstico, que deverá identificar oportunidades, contemplar o cenário atual de atendimento ao turista e as necessidades de regulamentação do setor. Além disso, visa incluir o mapeamento geo referenciado dos atrativos naturais e seus acessos, atualizar a descrição das características físicas, nível de dificuldade de trilhas de acessos, elaborar capacidade de carga dos atrativos, do fluxo de pessoas e a construção de destinos turísticos para orientar o desenvolvimento das potencialidades.

A partir dos dados levantados pelo diagnóstico, serão desenvolvidas ações de relevância e eficácia junto à comunidade. Essa atuação será com ênfase na formação e fortalecimento de redes de empreendedores, articulando parcerias locais e identificando novas oportunidades de atuação, além de orientação aos empreendedores e disseminação de conhecimento.

Ecoturismo

O Distrito de Taquaruçu possui diversas cachoeiras e balneários naturais. Abriga ecossistemas variados que inclui vegetação rasteira do cerrado, solo seco da caatinga e até mesmo árvores gigantes amazônicas com mais de 300 anos de existência. O turismo em regiões como essa é conhecido como “ecoturismo”.

Estima-se que o ecoturismo é um dos segmentos das atividades turísticas que mais cresce proporcionalmente. Enquanto que o turismo convencional cresce 7,5% ao ano, a taxa de crescimento do ecoturismo é de 25%. Segundo a Organização Mundial de Turismo (OMT) estima-se que 10% dos turistas em todo mundo tenham como demanda o turismo ecológico. (Secom Palmas)

Por: Redação

Tags: Carlos Amastha, Taquaruçu