Campo

Foto: Divulgação

Com o objetivo de discutir a realidade e as perspectivas da cultura da soja no Tocantins, a Secretaria da Agricultura e Pecuária do Estado (Seagro) realizou nesta terça-feira, dia 12, o Seminário da Cadeia Produtiva da Soja. Cerca de 100 pessoas, entre produtores, representantes de instituições de assistência técnica e de órgãos de pesquisas participaram do evento, realizado no auditório da Seagro.

Iniciadas às 9h, as palestras apresentadas durante a manhã destacaram temas com foco no diagnóstico, potencialidades, demandas e perspectivas da cultura da soja no Tocantins, além do cooperativismo para a produção do grão e a importância da qualidade das sementes para o cultivo no Estado. Dentre os palestrantes, o engenheiro agrônomo Genebaldo de Queiroz destacou que tendo como uma das principais demandas, o escoamento da produção é de total relevância. “A prioridade hoje é fazer com que esta melhoria ocorra, para que possamos garantir o crescimento do cultivo da soja no Estado”, ressaltou Barbosa.

Para apresentar as potencialidades, demandas e perspectivas da cultura da soja no Estado, a Chapada das Mangabeiras, no município de Mateiros –TO, foi mencionada durante o Seminário. A região de Campos Lindos foi citada como uma das maiores em exportação de soja do Estado.

No período da tarde, as atividades se dividiram entre palestras e debates sobre temas relacionados às ações de pesquisa e transferência de tecnologia para cultura de soja, a estrutura de armazenagem, as ações para melhoria da malha rodoviária do Tocantins e a importância da agricultura de precisão para a produção de soja no Estado.

Um dos temas mais discutidos durante o evento foi a situação para o armazenamento de soja no Tocantins. A apresentação feita pelo superintendente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Jalbas Manduca, durante o período da tarde, destacou a importância do credenciamento de produtores para a utilização adequada dos armazéns, já que a demanda da soja aumenta a cada ano e os armazéns ainda são poucos, diante desta produção. “O levantamento está sendo feito juntamente com os ajustes para que possamos apresentar no dia 30 de outubro, durante o 1º Seminário de Armazenamento de Grãos do Tocantins, os dados fechados referentes à este armazenamento, por isso é muito importante a presença de todos nesta ocasião”, finalizou Manduca.

Dados 2014

Um Diagnóstico da Cultura da Soja no Tocantins, realizado em fevereiro deste ano com visitas a 70 propriedades de 28 municípios do Estado, apresentou dados gerais da cadeia produtiva como a expansão, produção e produtividade nas últimas safras e as principais demandas dos produtores nas regiões de maior produção. Segundo o Diagnóstico a produção de soja, no Tocantins, é formada principalmente por pequenos e médios produtores nas faixas entre mil e três mil hectares de plantio. Setenta por cento dos produtores armazenam em armazéns de terceiros e 73% produzem em áreas próprias. Cerca de 70% dos produtores pretende aumentar a área plantada, 28% pretende manter e apenas 2% vai reduzir a área de produção (Ascom/Seagro)

Por: Redação

Tags: Secretaria Estadual da Agricultura