Cursos & Concursos

Foto: Divulgação

O sonho de poder acessar, manusear e aprender a mexer em programas como Word, Excel, Power Point e Internet começou a virar realidade para os indígenas da etnia Apinajé de Tocantinópolis. Com idades variadas, o grupo de alunos ingressou no Curso de Informática Básica, na última segunda-feira, (11), no Centro de Inclusão Digital.

O Centro de Inclusão Digital Francisco da Silva Queiroz foi inaugurado em 2009, tendo como objetivo atender toda a comunidade com aulas de Informática Básica, totalmente gratuita. Ofertadas aos alunos com idade mínima de 14 anos, as aulas tem duração de uma hora e funcionam nos três turnos, sendo que em cada turno é disponibilizada duas turmas, chegando a um total de seis turmas durante o semestre.

O Curso de Informática Básica já havia sido ofertado antes aos indígenas, mas agora no ano de 2014 a Prefeitura resolveu formar uma turma especialmente para os Povos Indígenas. Fora as aulas de informática, serão abordados e inseridos dentro do conteúdo programático, assuntos sobre o meio ambiente, onde poderão obter mais conhecimento acerca da conscientização e preservação das matas.

Nesta primeira etapa, foi formada uma turma com os indígenas da Aldeia São José que posteriormente, será a vez da Aldeia Mariazinha, havendo assim uma alternância entre as aldeias. As aulas serão ministradas de segunda a sexta-feira pelo professor Lucas Pereira, no laboratório de informática do Centro de Inclusão Digital, localizado na Beira Rio (no prédio do antigo Mercado Municipal), o qual foi inaugurado na primeira gestão do prefeito Fabion Gomes.

A secretária municipal de Educação, Marly Monteiro esteve visitando os alunos e explicando algumas demandas em relação ao transporte e estadia deles durante a realização do curso aqui na cidade. De acordo com as explicações repassadas aos indígenas, os mesmos terão à disposição todos os dias um veículo para transportá-los da aldeia até a sede do município. A secretária reforçou ainda que a Prefeitura estará doando toda semana produtos alimentícios para os estudantes.

A ação de oferecer aos indígenas a inclusão social e a integração às novas tecnologias é uma iniciativa da Prefeitura juntamente com a Secretaria Municipal de Educação. De acordo com secretária Marly, a ação corresponde à linha de trabalho para uma melhoria de qualidade de vida dos povos indígenas e o acesso destes às novas tecnologias. “A nossa expectativa é atender todos e consequentemente abrir as portas para que eles (os indígenas) possam fazer outros cursos futuramente, seja um curso técnico no Instituto Federal do Tocantins, no SENAI ou até na Universidade. Estamos apenas dando o pontapé inicial, tendo um curso de qualificação profissional, futuramente poderão ingressar no mercado de trabalho e ter uma vida social mais digna e humanizada”, frisou Marly. (Ascom Pref. Tocantinópolis) 

Por: Redação

Tags: Marly Monteiro, Tocantinópolis