Polí­cia

Sob acusação do Ministério Público Estadual (MPE), sustentada no tribunal do juri pelo Promotor de Justiça João Neumann Marinho da Nóbrega, José Cláudio Barbosa Malheiros, 38 anos, morador da cidade de Arraias, foi condenado a 18 anos e seis meses de reclusão por dupla tentativa de homicídio e pela prática de lesão corporal.

O crime teve motivação passional. Inconformado com o fim do relacionamento com Aline Veloso de Souza Justino, Malheiros partiu para a agressão ao encontrá-la em um bar, na noite de 25 de novembro de 2013. Após agredir a vítima de surpresa, ele desferiu diversos golpes de facão contra ela, decepando-lhe a mão esquerda e atingindo sua cabeça e costas repetidas vezes.

Aline Veloso foi hospitalizada em estado grave. O crime de homicídio contra ela só não foi consumado pela agilidade com que um vizinho prestou-lhe socorro e também porque uma outra pessoa, de nome Antônio Carlos Ribeiro, mesmo sendo paraplégico, interveio no momento das agressões em defesa de Aline, entrando em luta corporal com Malheiros.

Durante o embate, Antônio Ribeiro caiu de sua cadeira de rodas, ficando em posição que o impediu de se defender. Em decorrência dos golpes sofridos, ele perdeu a força da mão esquerda, importante para a movimentação de sua cadeira de rodas.

Após as agressões contra Aline Veloso e Antônio Ribeiro, sempre fazendo uso de um facão, José Malheiros partiu para o ataque contra uma terceira vítima, Eloá Pereira, causando-lhe lesões corporais leves. Este último ataque não teve nenhum motivo aparente, tendo servido apenas para extravasar a fúria do agressor.

José Cláudio Barbosa Malheiros foi condenado por juri popular, no último dia 25. Dois promotores de justiça participaram do caso: Reinaldo Koch Filho, que apresentou a denúncia; e João Neumann Marinho da Nóbrega, que acompanhou o processo e sustentou a acusação no plenário do Tribunal do Júri. (Ascom MPE)