Meio Ambiente

Foto: Jodevaldo Pereira

O capim dourado da região do Jalapão apresenta muitas oportunidades de crescimento, mas para que isso aconteça ainda há desafios a serem superados. Foi o que mostrou o Plano de Desenvolvimento do Capim Dourado, apresentado pelo Núcleo de Apoio aos Arranjos Produtivos Locais do Tocantins, na última terça-feira, 26, no auditório da CDL - Câmara de Dirigentes Lojistas de Palmas.

O Plano de Desenvolvimento foi realizado pela Fundação Vanzolini de São Paulo, contratada pelo Núcleo de APL – Arranjos Produtivos Locais com recursos liberados em edital pelo Mdic – Ministério do Desenvolvimento da Indústria e do Comércio Exterior. A pesquisa tem o objetivo de melhorar a comercialização e divulgação do artesanato do capim dourado, fortalecendo a economia da região do Jalapão.

Foi realizado levantamento do perfil sócio econômico dos artesãos, da organização do sistema produtivo, do processo de comercialização e das principais dificuldades. O coordenador do Núcleo de Apoio aos APL’s do Tocantins e técnico da Sedecti – Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcondes Martins, explica que o plano será implantado pelas instituições que compõe o Núcleo com recursos do Mdic, a partir de editais. “O planejamento prevê capacitações sobre o manejo sustentável, novas tendências de designer em artesanato e importância do trabalho de forma integrada ao sistema de cooperativas”.

Os artesãos da região do Jalapão produzem cerca de 30 itens de artesanato, tais como: mandala, chapéu, porta-joias, porta-copos, bijuterias, dentre outros. A artesã, Raquel Melquides Pinheiro, que vive na cidade de Ponte Alta, diz que o Plano deve atender as necessidades dos artesãos. “Teremos melhores condições para comercialização do artesanato e receberemos a qualificação para agregar mais valor ao produto”, conta a artesã.

Segundo o consultor da Fundação Vanzolini, Rodrigo Vila Lobos, “o grande desafio é pegar esse potencial do produto e distribuir os lucros para o maior número de artesãos, movimentando a economia local”. O Plano de Desenvolvimento do APL de Artesanato do Capim Dourado será encaminhado ao Mdic para elaboração de políticas públicas no setor.

Núcleo do APL

O Núcleo de Apoio APL – Arranjos Produtivos Locais do Tocantins é composto por 20 instituições como o objetivo de desenvolver ações integradas para setor do artesanato.  Dentre elas a Sedecti - Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação; Fundação Cultural do Estado; Sebrae – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas; Unitins – Fundação Universidade do Tocantins; e OCB – Organização das cooperativas do Brasil.