Educação

Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil

O Brasil ultrapassou, em 2013, a marca de 7,3 milhões de alunos na graduação. Somando-se os estudantes de pós-graduação scricto sensu (mestrado e doutorado), são 7.526.681 matriculados. Dados divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) nesta terça-feira (9) confirmam a tendência de crescimento no número de estudantes, instituições e docentes nesta etapa de ensino. Entretanto, há uma diminuição do ritmo de matrículas. Em 2013, houve aumento de 3,75% em relação a 2012 na quantidade de estudantes inscritos no ensino superior, tanto em graduação quando em cursos sequenciais de formação específica. No último censo de 2012, o crescimento resgistrado era de 4,32% em relação ao ano anterior.

Entre os alunos de graduação, 5.373.450 - aproximadamente 71,4% - estão vinculados a instituições de ensino superior privadas. Dentre os estados brasileiros, cinco têm mais alunos matriculados em instituições públicas do que em instituições privadas: Santa Catarina, Paraíba, Tocantins, Pará e Roraima. Em São Paulo, há cinco matriculados na rede privada para cada aluno na rede pública.

Mais de 15% das matrículas em ensino superior são em cursos de ensino a distância (EaD). Atualmente, o País oferece mais de 1,2 mil opções nesta modalidade. Há equilíbrio na oferta dos cursos a distância entre os diferentes graus acadêmicos, havendo predomínio da participação das universidades privadas: 86,6% de participação. A licenciatura é o grau acadêmico que mais registra concluintes nesta modalidade de ensino.

De acordo com os dados do Censo, atualmente o País tem 2,4 mil instituições de ensino superior que oferecem mais de 32 mil cursos de graduação. O ritmo de crescimento também caiu no número de cursos. Enquanto de 2011 para 2012 houve aumento de 4,68% (de 30.616 para 32.050 cursos), no ano passado o país ganhou 147 novas opções de formação: o número subiu de 32.050 para 32.197 cursos.

Ensino Tecnológico - Um dado que chama atenção entre os números divulgados nesta terça-feira é em relação à educação superior para formação tecnológica. Este grau já corresponde a 13,6% no número total de matrículas na educação superior, enquanto em 2003, esse percentual era de apenas 2,9%. A maioria dessas matrículas está em instituições privadas (85,6%). Na rede federal de cursos tecnológicos, houve uma expansão nas matrículas de 467,4% no período de 2001 a 2013, crescimento médio anual de 13,7%.

Formatura - Menos alunos se formaram no Brasil em 2013. O número de concluintes foi de 994.812, 61.257 a menos do que no ano anterior. Uma queda de aproximadamente 5,8%. Caiu também a quantidade de ingressantes em IES: foram 2.749.803 em 2013, enquanto em 2012 estas instituições receberam 2.756.773 novos alunos. 

Docência - As Instituições de Ensino Superior receberam mais 4.550 professores em 2013. Nos últimos 10 anos, o número de mestres e doutores na rede pública cresceu 90% e 136%, respectivamente. O regime integral é a forma de contrato de trabalho de 90% dos docentes das universidades federais. Na rede privada, esse percentual é de 30% e a maioria dos profissionais é horista. (EBC)