Cultura

Foto: Divulgação

A segunda mostra do Cinema na Calçada acontece na quinta-feira (11), às 19h30, na porta do Grande Hotel, no centro de Goiânia. Em sua terceira edição, o projeto tem a proposta de levar cultura, sustentabilidade e democratização audiovisual através de mostras de cinema temáticas. Realizado pela produtora goiana Panaceia Filmes, o Cinema na Calçada conta com o patrocínio dos Correios e apoio institucional da Prefeitura Municipal de Goiânia, através da Lei de Incentivo à Cultura.

A rua torna-se espaço para exibição de filmes, contribuindo na formação e sensibilização do público para o curta-metragem, formato de filme que cresce cada vez mais em todos os cantos do País. Além disso, o 3º Cinema na Calçada levanta discussões sobre acesso e ocupação do centro da cidade e propõe ações visando à consciência sustentável e o respeito ao meio ambiente, com a doação de sementes e mudas de plantas para o público.

Para esta quinta-feira, é a vez do cinema da Paraíba promover um intercambio cultural com Goiás. Trata-se de seis curtas-metragens escolhidos a dedo pelo cineasta paraibano Bertrand Lira: De Lua, ficção de Macélia Cartaxo; A Queima, documentário de Diego Benevides; Transmutação, de Torquato Joel; Fogo-pagou, de Ramon Batista; Guia, de Allison Linhares e Adriano Linhares; e Malha, de Paulo Roberto. Os filmes reiteram o crescimento da produção audiovisual do Estado, assim como a ótima qualidade técnica e de linguagem.

De acordo com o curador, a mostra serve como um breve panorama da produção do cinema paraibano, que revela jovens e veteranos realizadores tentando experimentar. “O que importa é que as propostas estéticas de alguns desses filmes indicam um desejo de fugir da tradição, alguns logrando, outros não, mas nos presenteando com um cinema de qualidade.”

Além da Mostra Paraíba e da Mostra Paraná (que ilustrou a abertura do Cinema na Calçada na última quinta-feira, 04), há ainda até o final do mês: Mostra Amazonas (19/09) e Mostra Goiás (25/09). Com filmes dos respectivos Estados, as produções foram escolhidas por curadores da própria região. De acordo com o coordenador geral do projeto, Jarleo Barbosa, o Cinema na Calçada quer que o Setor Central volte a ser um lugar de encontro, e não só de passagem ou trabalho.

“Goiânia tem uma dos maiores acervo de Art Decó do mundo, porém esse edifícios estão esquecidos e as pessoas passam pelo centro sem saber que estão transitando por um verdadeiro museu a céu aberto. Fazer o Cinema na Calçada no Grande Hotel, é uma tentativa de voltar os olhos das pessoas para esse local e para esse peculiaridade da cidade de Goiânia”, reitera Barbosa.

Aprendizado e Artes Visuais

Além das mostras, o Cinema na Calçada conta ainda com a exposição fotográfica Cidade de Ver. Cidade de Sentir. Cidade de Viver. Trata-se de um trabalho realizado pela Panaceia em parceira com A Deriva Fotográfica do Bem, expedição fotográfica pelo centro da cidade, em que se reúnem diversos fotógrafos que realizam resgate da memória e da vida na região central da capital goiana. A exposição fica até o final do mês no Grande Hotel, das 9h às 17h.