Campo

Foto: Divulgação

O Brasil está entre os três maiores produtores de frango do mundo, ao lado dos Estados Unidos e da China, com uma produção anual superior a 12 milhões de toneladas. E, atualmente, lidera as exportações, abastecendo o mercado global com cerca de 3,8 milhões de toneladas.

Qualidade, sanidade e preço competitivo contribuem para esse desempenho e o País busca modernizar as técnicas de produção, como, por exemplo, a alimentação das aves para aumentar a produtividade e consolidar mercados.

“Os produtores, em geral, formulam e produzem as rações oferecidas às aves”, diz Nilva Kazue Sakomura, do Departamento de Zootecnia da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV), da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Jaboticabal.

Poucos nutricionistas, entretanto, segundo ela, formulam rações baseados em modelagem para predizer exigências nutricionais e simular desempenho das aves. Foi exatamente esse o objetivo do projeto temático “Modelos para estimar as exigências de lisina, metionina+cistina e treonina para aves de corte e postura”, coordenado por Sakomura e desenvolvido junto com outros pesquisadores da Unesp de Jaboticabal com apoio da Fapesp.

“Nosso objetivo é fomentar o interesse em modelagem entre produtores e nutricionistas, ferramenta que tem sido utilizada no exterior, porém pouco usada por brasileiros”, disse a pesquisadora.

Os pesquisadores estruturaram uma base de dados que foi utilizada para modelar os fatores que influenciam a capacidade física de ingestão da ave, explicou Sakomura. Foi possível, por exemplo, modelar fatores – como temperatura, velocidade do ar e umidade – tendo em vista seu impacto sobre a produção de calor das aves, que afeta o consumo de ração.

Utilizando curvas de crescimento obtidas em outros estudos conduzidos pelo mesmo grupo de pesquisa na FCAV, foram determinados parâmetros do potencial de crescimento de diversas linhagens de corte e postura.

Com base nesses resultados, os pesquisadores desenvolveram o software Avinesp: Modelo de Predição de Crescimento e exigências nutricionais, de acesso livre, que auxilia os produtores na formulação da ração e representa uma ferramenta para tomadas de decisões.

O Avinesp estima consumo de ração, peso vivo, composição corporal e exigências nutricionais de frangos de corte e frangas de reposição. Além disso, simula respostas das aves aos efeitos da dieta e do ambiente. “A composição da dieta e o genótipo das aves são considerados nesse modelo”, disse Sakomura.

O Avinesp é uma ferramenta para nutricionistas e para produtores, já que pode ser utilizada para tomada de decisões sobre estratégias de alimentação das aves.

O software está acessível na página do Grupo de Estudos e Pesquisas em Modelagem e Nutrição de Monogástricos.

O pedido de registro do programa de computador já foi protocolado pela Agência Unesp de Inovação junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

O Projeto Temático contou com a participação de 11 pesquisadores brasileiros, da África do Sul e da Alemanha. Além do software, resultou em 11 dissertações de mestrado e teses de doutorado que tiveram como alvo determinar as exigências de aminoácidos na manutenção, crescimento e produção de ovos e de frangos para abate e elaborar modelos para predizer as exigências nutricionais. (Agência Fapesp)