Estado

Foto: Reprodução/TV Anhanguera

O Ministério Público Estadual (MPE) encaminhou na quarta-feira, 10, ofícios ao prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, e à empresa Litucera, responsável pela coleta de lixo no município, solicitando informações sobre a falta de pagamento dos funcionários da empresa. Os garis estão em greve desde segunda-feira, 08.

De acordo com o promotor de Justiça Alzemiro Wilson Peres Freitas, a paralisação do serviço de coleta gera inúmeros problemas. “O lixo espalhado pela cidade, além de poluir o meio ambiente, acarreta o surgimento de diversas doenças que ameaçam a saúde dos munícipes. Isso sem falar na questão do direito desses trabalhadores”, disse o promotor. Segundo Alzemiro, por se tratar de verba pública, a ação visa preservar o patrimônio público. 

No documento, Alzemiro solicita, em até 24 horas, cópia do contrato celebrado entre a prefeitura e a Litucera, além de informações detalhadas sobre os motivos que ocasionaram a ausência do pagamento dos funcionários da empresa.

Prefeitura

A Prefeitura de Araguaína, por meio da Secretaria da Infraestrutura, informou que a situação da greve dos garis foi resolvida ainda quarta-feira, 10 de setembro, e que os serviços de coleta de lixo e limpeza das ruas já estão normalizados desde ontem à noite e ainda comunicou que não há continuação de greve como estão divulgando alguns portais da cidade. 

A Prefeitura de Araguaína ainda disse que a coleta de lixo segue normalmente nos bairros, em dias e horários, já conhecidos pela população.