Polí­cia

Foto: Ascom SSP

Encontra-se recolhido na Casa de Prisão Provisória de Palmas, Jurandir M. da S., 56 anos de idade. Ele possui sentença condenatória transitada em julgado, pela prática do crime de tentativa de estupro praticado contra uma criança de apenas 04 anos de idade, fato ocorrido na Capital no dia 14 de novembro de 1993 e, foi preso na manhã desta quinta-feira, 18, quando se encontrava em sua residência, situada no Jardim Taquari.

De acordo com informações do Delegado, Reginaldo de Menezes Brito, a equipe de investigadores da Delegacia Especializada estava efetuando levantamentos e buscas na tentativa de encontrar o acusado, o que aconteceu, na manhã de hoje.

Na época do crime, o homem foi visto segurando na mão de uma menina de 04 anos, indo em direção a um córrego, no distrito de Taquaruçu, todavia devido aos gritos da criança, o indivíduo não conseguiu consumar o estupro. A garota conseguiu correr e relatou o ocorrido a sua mãe, que acionou a polícia, que de imediato, efetuou a prisão em flagrante de Jurandir.

Ele permaneceu na prisão até o dia 24 de agosto de 1994, quando foi colocado em liberdade provisória. Em 2003, o Poder Judiciário expediu a sentença condenatória de quatro anos e meio em desfavor do acusado, todavia antes que sua prisão pudesse ser realizada novamente, ele fugiu e passou a ser considerado foragido da justiça.

Jurandir foi trazido para a sede da Polinter, onde a autoridade policial deu cumprimento ao mandado de prisão que existia contra ele.

Segundo o Delegado Reginaldo, as ações da Delegacia Interestadual de Polinter e Capturas serão intensificadas, no sentido de localizar e prender foragidos da justiça com mandados de prisão em aberto. “Nossos investigadores estão nas ruas realizando buscas e levantamentos com o objetivo de capturar pessoas procuradas pela justiça e, nesse esforço, contamos com a colaboração da população em geral para que denuncie se, por ventura, souber de alguém que é foragido e se encontra em liberdade”, concluiu.

Qualquer informação que possa levar a prisão de uma pessoa procurada pela justiça pode ser feita, no mais absoluto sigilo, por meio da Polinter. (Ascom SSP)