Economia

Foto: Imagem ilustrativa/da web

Em setembro, a pesquisa que mede o índice de endividamento e inadimplência dos consumidores de Palmas (PEIC) apontou um pequeno acréscimo de 1,1% no total de endividados, quando comparado ao mês de Agosto. Dentre os entrevistados, 79,5% responderam que estão endividados e 9,4% que tem contas em atraso, ou seja, são inadimplentes. Esse total de inadimplentes também registra um leve aumento quando comparado ao mês anterior, cerca de 1%.

Na Capital, segundo a pesquisa, 53.663 pessoas se consideram endividadas. Desse contingente, 76% acreditam estar pouco endividados e apenas 0,4% muito endividados. Metade (50,5%) tem dívidas em atraso de até 30 dias. Para o presidente da Fecomércio Tocantins, Itelvino Pisoni, as pessoas devem ficar atentas ao tempo desse atraso. “Os consumidores devem evitar o atraso longo de suas contas para que não aconteça a negativação de seu nome”, explicou.

Conforme Fernando Cosenza*, diretor de marketing da Boa Vista Serviços, são realizadas sete milhões de consultas aos cadastros de inadimplentes por dia. “Toda vez que o consumidor contrata um serviço recorrente, faz um pagamento à prazo ou contrata uma operação de crédito, seu CPF é consultado. E quando a empresa vê que ele tem dívida, a tendência é que ela negue o serviço", disse. 

O ranking dos principais tipos de dívidas continua com o cartão de crédito em primeiro lugar com 74,4% do total. Em segundo, 31,7% disseram ser a dívida mais usual o financiamento de carro, seguido de 27,9% que afirmam serem os carnês. A maioria (52,4%) disse estar comprometidos com contas por mais de um ano, deste modo, o tempo médio registrado foi de 8,7 meses. Já a média do comprometimento da renda familiar com dívidas esse mês ficou em 32,9%, sendo que 70,7% comprometem de 11 a 50% de sua renda com contas.

Os questionários foram aplicados nos últimos dez dias do mês de Agosto e entrevistou 500 pessoas. (Ascom Fecomércio)