Saúde

Foto: Divulgação

Com a finalidade de alertar a população para as doenças que colocam o coração em risco e as formas de prevenção, é comemorado nesta segunda-feira, 29, o Dia Mundial do Coração. Em Palmas as doenças circulatórias já são a principal causa de mortes.

De acordo com dados da diretoria de Vigilância em Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde, no período de 2006 a 2013, houve um total de 3.970 mortes por doenças circulatórias, sendo a principal causa de morte na Capital, em segundo lugar, aparecem as causas externas com 2.529 mortes, seguido das neoplasias, com 2067 mortes. As doenças mais comuns são: infarto, insuficiência cardíaca, má circulação, arritmias, acidente vascular cerebral.

Para a chefe da Divisão de Doenças não Transmissíveis, Silvely Tiemi kojo, a melhor forma de prevenção das doenças cardiovasculares é a adoção de um estilo de vida saudável, como ter uma alimentação adequada (consumo de verduras, frutas e legumes, redução do sal, redução do consumo de açúcar e de comidas gordurosas), praticar atividade física regular e manter distância do cigarro. Além disso, realizar visitas ao médico periodicamente.

"Quem fuma, tem colesterol alto, hipertensão arterial, diabetes, é obeso ou sedentário, deve ter uma atenção redobrada, pois prevenir ainda é o melhor remédio", ressalta Tieme.

Na Capital, as Unidades de Saúde da Família (USF´s) desenvolvem ações preventivas junto aos usuários, principalmente com os grupos de risco, como hipertensos e idosos. Outras iniciativas como a instalação das Academias ao ar livre e a adoção de práticas integrativas como o Liang Gong, visam estimular a prática de atividades físicas e adoção de um estilo de vida saudável.

Sintomas

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte prematura nos países industrializados, e no Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, cerca de 17 milhões de pessoas sofrem destas doenças.  As doenças mais comuns são: infarto, insuficiência cardíaca, má circulação, arritmias, acidente vascular cerebral.

Os sintomas são: cansaço aumentado, falta de ar, respiração curta, palpitações incômodas, dores no peito, dores nas pernas ao andar, inchaço no rosto e nas pernas, machucados que demoram a cicatrizar. Em alguns casos, os sintomas levam muito tempo para se manifestar, por isso, é importante visitar o médico regularmente.

Segundo o Datasus, na Capital em 2013 houve 816 internações por doenças do aparelho circulatório e em 2014 (até julho) houve registro de 339 internações. Tieme destaca que essas doenças são resultados da combinação de alguns fatores de risco modificáveis como: o Tabagismo; colesterol alto; inatividade física; sobrepeso ou obesidade; elevada circunferência abdominal; diabetes e alimentação inadequada. Há ainda os fatores de risco não modificáveis como a hereditariedade e a idade. (Secom Palmas)