Polí­tica

Foto: Divulgação

A Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI do Igeprev aprovou nesta terça-feira, 21, as proposituras do deputado estadual  Sargento Aragão (Pros) que sugeriu uma consultoria técnica para analisar os dados encaminhados pelo Ministério da Previdência Social e ainda visita a alguns órgãos em Brasília.

O parlamentar quer ainda que seja feita uma visita ao Departamento Geral da  Polícia Federal  em Brasília e ao Supremo Tribunal Federal ao ministro Marcos Aurélio que está com o inquérito que trata da investigação do Igeprev e que está em segredo de justiça. O deputado federal Eduardo Gomes (SD) é citado no inquérito na investigação que envolve ainda o doleiro Fayed.

O presidente da CPI, Stalin Bucar pediu que Aragão formalizasse os pedidos para que sejam feitos os encaminhamentos necessários. “Não vejo nenhuma dificuldade em aprovar para já adiantarmos os trâmites”, frisou. O presidente já solicitou á Assessoria da casa para que a CPI seja prorrogada já que os trabalhos não fluiram em razão do período eleitoral. Essa foi a primeira reunião com quórum suficiente para deliberações após as eleições.

O deputado Ricardo Ayres concordou com a sugestão de Aragão e manifestou interesse em participar. Eles acrescentou ser necessário ainda uma visita ao Ministério da Previdência Social – MPS. Do PT, José Roberto Forzani também concordou com as proposituras.

Convocações

Foi lido ainda na CPI um requerimento que pediu a convocação do ex-secretário e deputado estadual eleito Eduardo Siqueira Campos para prestar esclarecimentos sob suspeita de irregularidades na aplicação de alguns fundos do Igeprev mas a votação ficou para a próxima sessão. Eduardo foi presidente do Conselho de Administração do órgão.

O presidente do Sisepe, Cleiton Pinheiro, o secretário da Administração, Lucio Mascarenhas, Joel Milhomem e ainda os ex-presidentes do órgão, Angela Marques e  Rogério Villas Boas, tiveram a convocação aprovada para depor na CPI. Os depoimentos serão dia 27 ás 15 horas no Plenarinho da Assembleia.