Cultura

Foto: Imagem ilustrativa/Da web

Depois de passar pela capital Palmas com o espetáculo infantil Gibi, a Lamira chega a Lajeado com o espetáculo de Rua Do Repente. A apresentação acontecerá na terça, dia 28 de outubro, às 19h, na Feira Coberta de Lajeado. Já no dia 29 de outubro a Cia. Lamira ministrará a oficina "A fisicalidade como Ponto de interseção entre teatro e dança”, às 14h, noColégio Estadual Nossa Senhora da Providência. Estas ações fazem parte Projeto Lamira na Rua – Circulação, viabilizado através da Lei Federal de Incentivo à Cultura e conta com os Patrocinadores Instituto EDP, O Boticário na Dança e a Investco.

Do Repente é um espetáculo de dança destinado a rua, que explora elementos estéticos do teatro na sua concepção. A poética gira em torno do universo do romanceiro popular do nordeste brasileiro nas figuras do cantador, coquista, aboiador, glosador, cordelista, mamulengueiros e da influência dessa cultura na formação das diversas culturas do país.

A Cia. Lamira se apropria de pesquisas sobre a comedia dell´arte para construir no decorrer do espetáculo diferentes atmosferas e nuances corporais e dramatúrgicas. Com isso Do Repente faz uma leitura lúdica do Romanceiro Popular Nordestino, relacionando-o ao universo urbano e globalizado. A proposta é ocupar artisticamente espaços abertos proporcionando aos transeuntes uma vivência cultural com uma obra criada a partir desta necessidade e para este fim. 

Já a oficina compreenderá uma parte prática abordando o trabalho físico e intelectual sobre o processo de montagem, produção e criação do espetáculo que será apresentado e uma parte teórica promovendo a discussão e buscando a reflexão sobre questões da sustentabilidade e preservação da cultura dessas comunidades estimulando-as a pensarem em seu ambiente (natural, cultural, econômico) a partir do olhar cultural artístico de si. Inscrições através do e-mail: apoio@lamira.com.br.

Em turnê pelo Brasil a Companhia tocantinense Lamira Artes Cênicas tem participado de importantes festivais nacionais. Este ano já se fez presente em 43 cidades por 20 estados brasileiros e fará 65 apresentações por todo país. O trabalho da Cia. vem se estabelecendo a partir do uso da fisicalidade como ponto de interseção entre dança, teatro, circo e música, para a construção da sua estética própria. 

Lamira Artes Cênicas 

A Lamira Artes Cênicas é grupo tocantinense que busca na fisicalidade o ponto de interseção entre dança, teatro, circo e música para a construção de sua estética. Suas produções partem da interação entre coreógrafos, diretores e pesquisadores de diversas áreas, fortalecendo e desenvolvendo as artes cênicas como linguagem cultural. Desde o início, a Lamira produz espetáculos que são referência na cidade de Palmas, além de representar a produção cênica tocantinense por todos os estados brasileiros, já tendo percorrido todas as regiões do país. A produção da Lamira é crescente. Por meio das ações de pesquisas, diálogos e intercâmbios com outros grupos, ela mantém um repertório rico com espetáculos de rua, infantis, contemporâneos e conceituais. 

O grupo passou a ser reconhecido nacionalmente em 2012, quando participou do maior Festival de Teatro de Rua do país, em Porto Velho/RO, sendo aplaudido de pé durante três minutos, por mais de cinco mil pessoas. Sua apresentação foi considerada uma das melhores do festival.

No mesmo ano, foi convidado para circular por 10 estados brasileiros na região da Amazônia Legal, pelo projeto SESC Amazônia das Artes, que lhe garantiu visibilidade e destaque. Ainda em 2012, a Lamira foi selecionada para o Programa Rumos Dança, do Itaú Cultural, como um dos grupos pesquisadores da cadeira de Dança para Crianças, em São Paulo. A Lamira possui, atualmente, quatro espetáculos em repertório (Fela da Gaita, Adorno da Realidade, Do Repente e GIBI). Além do trabalho cênico, segue por uma linha pedagogia própria na formação do artista. Em um mesmo espetáculo o artista deve ser capaz de se envolver não só a linguagem da dança, mas também com a construção dramática e com a utilização de outros recursos para a cena em questão. (Ascom Lamira)

Por: Redação

Tags: Agenda Cultural, Lamira