Polí­tica

Foto: Divulgação

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos – Sisepe Cleiton Pinheiro analisou em entrevista ao Conexão Tocantins as conquistas das categorias nos últimos quatro anos no Estado. “Não temos muito o que comemorar mas tem algumas questões que a gente pode apontar como por exemplo todas as progressões foram cumpridas”, disse. Nesta terça-feira, 28, é comemorado o dia do Servidor Público.

Segundo o presidente duas conquistas que os servidores ainda buscam é o retorno da jornada de seis horas diárias e o vale alimentação. “Não conseguimos emplacar isso junto ao governo que fez foi retirar. Esse é um prejuízo que a categoria teve e continuamos na luta”, defendeu.

Sobre o auxílio-alimentação ele argumentou que o governo estadual é o único que ainda não tem.  “ É o único poder do Tocantins que não tem. O legislativo, o judiciário todos eles tem”, disse. O valor sugerido pelo sindicato é de R$ 250. “ É um dinheiro que retorna para o caixa do governo”, completou.

Nas últimas semanas os servidores estavam insatisfeitos com a suspensão das férias por parte do governo mas o presidente disse que ainda aguarda a manifestação das pastas. “Parece que o governo quer rever questão das férias, não tem motivo pausível para que Estado suspenda férias do servidores”, disse.

O Representante dos servidores já busca diálogo com o governador eleito Marcelo Miranda (PMDB) para sanar as demandas. “ Já estamos buscando dialogo com governador eleito  e ele tem garantido que está de portas abertas para o diálogo”, disse o presidente. Ao todo 22 sindicatos representam as várias categorias dos servidores públicos.

Média salarial

A secretaria Estadual da Administração- Secad informou ao Conexão Tocantins que a média salarial dos servidores efetivos do Tocantins saiu de R$ 3,7 mil para R$ 5,7 mil mas o Sindicato contestou o dado. “Essa media não condiz com a realidade. A media salarial analisando os novos servidores que ingressaram nos últimos anos é de R$ 2.500. O governo deveria escalonar por tempo de ingresso no serviço público”, disse.