Geral

O Cedeca Tocantins - Centro de Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente Glória de Ivone - coordena o projeto de fortalecimento da Renade - Rede Nacional de Defesa do Adolescente em Conflito com a Lei, que atua pela garantia de direitos humanos de adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas. 

Formada por adolescentes, centros de defesa, defensoria pública e movimento de famílias, a Renade desenvolve projetos de formação política de adolescentes, seus familiares e demais atores da rede do sistema de garantia de direitos. Os projetos desenvolvidos pela Renade contam com o apoio da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e Conanda – Conselho Nacional de Direitos da Criança e Adolescente.

Com trabalho reconhecido em âmbito nacional e internacional, o Cedeca Tocantins também integra a coordenação colegiada da Anced/Seção DCI Brasil – Associação Nacional dos Centros de Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente.

“Ao longo destes anos, o Cedeca Glória de Ivone vem realizando incidência política com vista à efetividade do marco legal e internacional de defesa dos direitos humanos de crianças e adolescentes. Hoje o Cedeca é consolidado e legitimado como um organismo político que luta radicalmente pela concretização dos direitos humanos”, ressalta Mônica Brito, da Secretaria Executiva do Cedeca.

Atividades

Organizados pelo Cedeca, a Renade realizou de junho a outubro atividades de incidência e formação política. No final de junho, foi realizada em Brasília, uma oficina de formação para os centros de defesa, que contou com a participação de 30 representantes de organizações de 18 estados brasileiros. Em outubro, aconteceu o Fórum Nacional de Adolescentes do Sistema Socioeducativo. Já nos dias 27 e 28 de novembro a Renade realiza um Encontro de Famílias, também em Brasília.

Relatório Nacional

Paralelo a estas atividades o Cedeca elabora, por meio da Renade, o Relatório Nacional sobre as Unidades Socioeducativas de Privação de Liberdade. No total, serão visitados 13 estados para produção do documento. As atividades de monitoramento já foram realizadas em Fortaleza/CE e São Luís/MA. (Ascom Cedeca)

Por: Redação

Tags: Cedeca, Mônica Brito