Saúde

Foto: Divulgação

Os profissionais da fisioterapia, suspenderam a partir deste sábado, 8, os plantões extraordinários em todas as unidades de saúde do Estado. A paralisação, segundo o Sindicato dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais do Tocantins (Sinfito), é resultado da falta de compromisso, por parte do Governo do Estado. O presidente do Sindicato, Sandro Adrian disse que a decisão de interromper os trabalhos foi tomada pelo atraso no pagamento de vários direitos.

“Tal atitude é resultado das diversas promessas não cumpridas por parte desta Gestão, referente à falta pagamento dos plantões extraordinários de julho e agosto, o atraso no pagamento das gratificações de urgência e emergência e de UTI´s (tendo valores referentes ao ano de 2012 em atraso), descontos indevidos efetuados nos vencimentos, do mês de outubro corrente, dos profissionais representados por nós, assim como a falta de materiais e condições adequadas de trabalho”, revelou Adrian.

O presidente aponta ainda que a medida extrema foi tomada depois de várias reuniões conjuntas entre Sindicato, Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional e Secretaria Estadual da Saúde (Sesau), porém sem nenhum resultado. “Estamos há vários meses buscando soluções para que evitássemos ter que tomar tal atitude. Porém, os profissionais não têm mais condições físicas e psicológicas para suportar tamanha insegurança”, acrescentou o delegado do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional no Tocantins, Helton Pires.

A paralisação implicará no atendimento insuficiente nas Unidades de Terapia Intensiva, prontos-socorros, internação e ambulatórios da rede estadual, devido à quantidade insuficiente de profissionais. O caso já foi comunicado aos órgãos de fiscalização.

Por: Redação

Tags: Helton Pires, Sandro Adrian, Sinfito