Educação

Foto: Imagem ilustrativa/da web
  • Além de dança e música, o projeto envolve a confecção de bonecas e outros artesanatos

Na próxima quinta-feira, 20, é celebrado o Dia da Consciência Negra em todo o País. Além de homenagear Zumbi dos Palmares, grande líder negro do Brasil-Colônia, que faleceu no dia 20 de novembro de 1695, a data marca também o reforço nas reflexões sobre a realidade dos negros na sociedade atual. Cientes da importância do assunto, os colégios estaduais Cristalândia - na cidade de mesmo nome - e Dom Alano, de Palmas, realizam, ao longo desta semana, diversas atividades para inserir no contexto escolar discussões sobre a temática. 

Referência no Tocantins no que se refere a atividades escolares contemplando o Dia da Consciência Negra, o Colégio Estadual Cristalândia chega à 10ª edição do Projeto Batuque, que leva professores, alunos e familiares a uma imersão na cultura afro-brasileira. Neste ano, as ações do projeto tiveram início ainda em fevereiro, com a realização de aulas-temáticas, pesquisas, palestras e oficinas, além da exibição de filmes. Ao todo, 120 estudantes participaram do projeto que terá a culminância no dia 21, a partir das 19h, com apresentações culturais, exposição de artesanatos e bonecas confeccionados nas oficinas, além de uma celebração com ritos afros e católicos e uma feijoada. 

Idealizadora e coordenadora do Projeto Batuque, a professora de História, Filosofia e Sociologia da unidade, Elizabeth Aires Leite, exalta o envolvimento de todos com o evento. Para ela, a participação dos alunos nos 10 anos de Batuque tem sido muito positiva. “Os temas afros que trabalhamos no projeto são extraclasse, o aluno tem que se voluntariar a participar. É muito gratificante notar que os alunos, os professores, as coordenações, a direção e os pais se interessam pelo projeto, ajudando a promover a igualdade racial na escola, levando todos a entender um pouco mais sobre a diversidade e a importância de convivermos bem com ela”, destacou. 

Para Jaqueline Gonçalves de Carvalho, que cursa a 2ª série do Ensino Médio do Colégio Cristalândia, o projeto é fundamental para desmistificar o tema e unir ainda mais os estudantes da escola. A aluna de 16 anos participa do projeto pelo segundo ano consecutivo e na peça “Isá, um adivinho”, a ser apresentada nesta edição, fará o papel de um “Griot”, tradicional narrador das experiências e culturas de uma comunidade segundo o folclore africano. “O Batuque é muito importante; ao longo do ano, a gente pesquisa sobre a cultura afro e é possível notar que a visão de alguns alunos muda bastante sobre as diferenças étnicas e culturais”, disse. 

Semana comemorativa

Em Palmas, o Colégio Estadual Dom Alano Marie Du Noday vai realizar, a partir da próxima segunda-feira, 17, a Semana da Consciência Negra. Durante o período de comemoração da data, a unidade promove atividades específicas sobre a temática, como elaboração de textos e painéis, apresentações de palestras e relatos, além de exibições de filmes. 

Nos períodos matutino e vespertino, entre os alunos do 5º ano do ensino fundamental à 3ª série do Ensino Médio, os trabalhos serão desenvolvidos de acordo com cada disciplina das Ciências Humanas (Artes, Filosofia, Geografia, História e Sociologia). Já no turno noturno, que conta apenas com estudantes da 1ª à 3ª série do Ensino Médio, as atividades serão realizadas em todas as disciplinas, isto a partir do Projeto Interdisciplinar Diversidade. 

De acordo com a diretora do Colégio, Amanda Emilene Arruda, os ensinamentos passados na unidade devem ser levados para o dia a dia de cada aluno. Para ela, os estudos sobre o período da escravidão no Brasil deve ser estudado a fundo para conscientizar os alunos sobre igualdade e preconceito racial. “Para mim, o Brasil possui uma espécie de dívida com os negros, que foram muito explorados e discriminados ao longo da nossa história. E esta conscientização deve transpor os muros do colégio, os levando a praticar o respeito em todos os contextos de diversidade em que foram inseridos”, ressaltou. (Ascom Seduc)