Polí­tica

Foto: Divulgação

Enquanto a comissão de transição inicia os trabalhos para conseguir o levantamento da atual situação do Estado nas várias áreas, politicamente avança também a articulação dos partidos de olho na presidência da Assembleia Legislativa. Pelo menos cinco parlamentares eleitos na base do governador eleito Marcelo Miranda (PMDB) estão de olho na presidência.

Do PT, José Roberto Forzani e Paulo Mourão são nomes sondados mas o da petista Amália Santana também chegou a ser citado. Forzani já admitiu ao Conexão Tocantins que colocou seu nome à disposição do partido e defende mais democracia no legislativo.

Já Mourão afirmou que o diálogo já começou e que todas as pretensões devem ser avaliadas. “O legislativo vai ter um papel importante com relação ao novo governo mas precisamos primeiro ter uma radiografia do Estado. É um momento das forças políticas ter compreensão e fazer uma leitura do Estado”, opinou.

Na seara do PMDB, o novato Nilton Franco tenta costurar consenso em torno do seu nome. Ele foi um dos primeiros a manifestar interesse na disputa.

Já o deputado eleito pelo partido Elenil da Penha, procurado pelo Conexão Tocantins, disse que ainda não participou de nenhuma conversa sobre o assunto e que aguarda as articulações. Rocha Miranda, também do partido, ainda não se manifestou sobre o assunto.

 PSD

Outro aliado do governador Marcelo Miranda, o PSD, já tem um candidato declarado: o deputado Toinho Andrade, atual segundo secretário da Casa de Leis. Ele afirmou que o próximo presidente deve ter amplo conhecimento da Casa e frisou que pretende convencer os colegas de que poderá fazer um bom trabalho à frente do legislativo.  “Temos que trazer de volta a credibilidade da Assembleia já que a classe política está tão desacreditada”, frisou.

Também do partido, Valdemar Junior foi mais cauteloso e frisou que vai aguardar que o governador se manifeste sobre a disputa.

O PV, comandado por Marcelo Lelis, não terá nenhum parlamentar eleito na próxima legislatura.

Bonifácio também

Da base de Marcelo Miranda o deputado reeleito José Bonifácio já reafirmou que é candidato mesmo se não tiver o apoio do governador eleito. “Vou ser candidato mesmo que seja um candidato avulso”, frisou ele que já tem inclusive propostas caso seja eleito. Aumentar os gabinetes e estender todos os benefícios dos federais para os estaduais também são algumas das metas do deputado.

Articulações

As articulações de bastidores dão conta de que o governador eleito já tem o apoio de vários parlamentares que foram eleitos na coligação adversária. O grupo que será oposição na próxima gestão tenta ficar unido para manter a presidência da Casa de Leis.