Polí­tica

Foto: Divulgação

O ano vai chegando ao fim e a expectativa dos petistas do Estado para conseguir ganhar representatividade no Senado aumenta. As especulações na imprensa nacional dão conta da sondagem do nome da senadora Katia Abreu (PMDB) para comandar o Ministério da Agricultura numa possível cota pessoal da presidente Dilma Rousseff.

A Folha de São Paulo publicou na tarde desta sexta-feira que Katia já foi convidada para ocupar o ministério e teria aceitado o convite.

O nome da senadora é constantemente citada para as mudanças administrativas que a presidente petista fará para a próxima gestão. Para o prefeito de Colinas , José Santana Neto que foi coordenador da campanha da presidente no Estado a presidente já manifestou interesse no nome da senadora. “Essa é uma decisão única e exclusiva da presidente Dilma que já manifestou o interesse de que um membro representante do setor assumisse o ministério e a senadora é um nome provável. Não há essa garantia mas existe o desejo que a presidente Dilma já manifestou”, frisou sobre o perfil da senadora para o cargo. Ele frisou que para o Estado é importante ter uma representante como ministra no Governo Federal. "É uma aliada que foi eleita no nosso grupo", complementou.

Com o possível afastamento da senadora do Senado Federal o suplente do partido, petista histórico e ex-presidente da legenda, Donizeti Nogueira assume a cadeira. “Estamos na expectativa para que isso aconteça porque com certeza vamos ter um representante do Estado mas que também vai dar sustentação e atender as necessidades do governo federal”, frisou.

O deputado estadual do PT, José Roberto Forzani disse ao Conexão Tocantins que também está na expectativa. “A senadora representa o setor do agronegócio e o ministério sempre teve indicação do agronegócio. Os trabalhadores esperam muito que o Donizeti assuma o Senado e o Estado tem muito a ganhar. Vamos ficar satisfeitos e com certeza vai ser um grande reforço pra luta dos mais humildes do Estado”, afirmou.

A senadora Katia Abreu não comentou ainda a cotação de seu nome para o Ministério. Ela é também presidente da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária- CNA.