Saúde

Foto: Imagem ilustrativa/da web

Com o objetivo de promover a discussão das temáticas inerentes a violência sexual com a rede de atendimento, comunidade acadêmica e sociedade civil a fim de qualificar e aprimorar os atendimentos dos seguimentos, acontece nos dias 27 e 28 de novembro, o II Fórum Estadual de Violência Sexual e Aborto Previsto em Lei, no auditório do Ceulp/Ulbra, em Palmas, a partir das 14h.

O evento é realizado pela Secretaria de Estado da Saúde, com o apoio do Ministério Público do Estadual, Defensoria Pública em parceria com a Prefeitura de Palmas, Ministério da Saúde, (Centro de Pesquisas Materno Infantil de Campinas - CEMICAMP, Serviço de Atendimento a Vítimas de Violência Sexual - SAVVIS da Maternidade Moura Tapajós, entre outros.

Participarão do fórum os profissionais de saúde dos serviços de atenção às pessoas em situação de violência, dos serviços de referência em saúde, assistência social, Polícia Civil, justiça, conselhos tutelares, organizações não governamentais e estudantes.

Na programação estão previstas palestras, debates, mesas redondas, e no final do evento será realizada a leitura da carta do fórum. Nestes dois dias os participantes irão discutir sobre o papel do Ministério da Saúde e o Credenciamento de Serviços para a Atenção Integral a Pessoas em Situação de Violência Sexual, Atendimento à Pessoa em Situação de Violência Sexual, Aspectos éticos e jurídicos do atendimento à Pessoa em Situação de Violência Sexual entre outros assuntos.

Dentre os palestrantes do evento estão a Assessora Técnica da Área de Saúde da Mulher do Ministério da Saúde, a Médica Ginecologista e obstetra e Coordenadora do Serviço de Atendimento a Vítimas de Violência Sexual - SAVVIS da Maternidade Moura Tapajóz – Manaus/AM, Zélia Campos, o Juiz de Direito e Professor de Direito Penal da PUC-CAMPINAS, José Henrique Torres.

O Serviço

Atualmente o Hospital e Maternidade Dona Regina é referência para Atendimento de Pessoa em Situação de Violência Sexual, com a nova portaria da Sesau nº 817 de 14 de julho de 2014, que trata da centralização do serviço, ou seja, todas as pessoas que passam por esse momento tão difícil da vida podem contar com o apoio de profissionais especializados da unidade, com atendimento 24h.

O Serviço de Atenção especializada às pessoas em situação de violência sexual - SAVIS disponibiliza uma equipe multiprofissional de médicos, psicólogos, enfermeiros, assistente de serviço de saúde, assistentes sociais e farmacêuticos. 

Dados

De janeiro a setembro de 2014, o Serviço de Atenção especializada às pessoas em situação de violência sexual - SAVIS já realizou 417 acompanhamentos, dentre eles, 114 novos casos.

Por: Redação

Tags: Secretaria Estadual da Saúde