Polí­tica

Foto: Divulgação

As quatro Medidas Provisórias que tratam de benefícios para a Polícia Militar inclusive de promoções para mais de 4 mil policiais e bombeiros não foram votadas pelos parlamentares e completam 30 dias na próxima semana. Diante disso, o presidente Osíres Damaso (Democratas), com base no regimento, avocou as matérias para a presidência e vai colocá-las em regime de urgência para votação em plenário na próxima semana quando serão dispensados todas as formalidades regimentais.

Se as MP’s não forem votadas perdem a eficácia e o prazo de validade é de um mês. Os deputados estão sem votar a ordem do dia das sessões por falta de quórum para as votações. Eles se reuniram a portas fechadas e fizeram um acordo para deliberar as matérias que faltam porém isso não vem ocorrendo.

Críticas

O deputado José Bonifácio (PR) criticou na sessão desta quinta-feira, 27, a promoção para os policiais no final de governo e pediu que os deputados reflitam bem sobre a aprovação das MP’s. “São bondades de última hora de gestão que colocam classes contra parlamento ou parte do parlamento e requer que a gente pense muito bem “, disse.

Segundo o deputado, o tema das promoções da PM é apaixonante e preocupante. “ O governo de repetente numa canetada premido pela LRF mas se vendo desobrigado pelo termino do mandato daqui há pouco mais de um mês, coloca as bondades encima de uma classe muito grande, promove todo mundo sem olhar para trás e ver que todos os índices da lei moralizante do País estão sendo rasgados e a maior conquista da democracia brasileira pra cá não tem valor nenhum”, afirmou da tribuna.

O parlamentar disse que a classe da PM é grande e pressiona os deputados. “Temos a responsabilidade de ser sábios e responsáveis, minha parte eu cumpro nem que eu sangro”, disse.

Durante várias semanas, militares acompanham as sessões para reforçar o pedido de aprovação das matérias.