Esporte

Foto: Lucas Nascimento

A delegação do Tocantins que representou o Estado na sexta edição das Paralimpíadas Escolares, em São Paulo, retornou ao Estado na tarde desta sexta-feira, 28. Na bagagem, os alunos paratletas trouxeram sete medalhas, um recorde quebrado e muitas histórias para contar.

Durante os dois dias de provas, nas modalidades de tênis de mesa, atletismo e natação, os alunos do Tocantins conquistaram cinco medalhas de bronze, uma de prata e uma de ouro. Ao desembarcarem em Palmas, com as medalhas estampadas no peito, os estudantes ressaltaram a emoção de representar o Tocantins nas Paralimpíadas e a satisfação em voltarem com um bom resultado. “Estou muito feliz, orgulhoso”, disse o medalhista Marcos Viana.

“Eu bate o recorde de medalhas! Ganhei muitas”, vibrou a aluna destaque na competição, Lorena Fonseca.

A diretora de Administração da Secretaria de Estado da Educação e Cultura, Amanda Costa, recepcionou o grupo na chegada à capital. Representando a secretária Adriana Aguiar, ela parabenizou o grupo e ressaltou que as medalhas são a recompensa do esforço e dedicação dos alunos e técnicos que levaram o nome do Tocantins para a competição nacional. “É um orgulho recebê-los com tantas medalhas. Estamos realizados e satisfeitos com a participação do Tocantins nas Paralimpíadas”, afirmou.

Medalhas

Ficaram com a terceira melhor colocação os estudantes Rhailma Sousa, da Escola Especial Integração, de Palmas, no arremesso de peso F20 (deficiência física); Akila Vitória Leite, da Escola Especial Colibri, de Dianópolis, no arremesso de peso F13 (baixa visão); Marcos Rodrigues Viana, da Escola Especial São Francisco de Assis, de Gurupi, no arremesso de dardo F37 (deficiência física – comprometimento de dois membros em um lado do corpo); e Felipe Barbosa Pereira, do Centro de Ensino Médio Bom Jesus, de Gurupi, no tênis de mesa TM5 (cadeirante com mobilidade dos membros superiores).

Já a aluna Lorena Fonseca da Silva, da Escola Especial Mãe-Tia Eulina Braga, de Porto Nacional, conquistou o bronze nos 100 metros T36, prata no arremesso de peso F36, e ouro no arremesso de dardo F36 (categorias voltadas a deficientes físicos com comprometimento motor nos membros). Com esse resultado, a paratleta ainda quebrou o recorde na modalidade, com lançamento de 8.34 metros – 26cm a mais do que a antiga melhor marca.

“No geral, quanto menor o índice de classificação do paratleta, maior o comprometimento em relação à deficiência”, explicou o fisioterapeuta da delegação, Raphael Cota Couto.

O Tocantins participou pela segunda vez das Paralimpíadas Escolares. Na estreia, em 2013, ganhou três medalhas com uma equipe de nove atletas. Neste ano, foram quatro medalhas a mais com a participação de 14 estudantes. Na classificação geral dos jogos, o Estado ficou em 22º lugar no número absoluto de medalhas.

Paralimpíadas

As Paralimpíadas Escolares foram realizadas de 25 a 28 de novembro em São Paulo. A competição, que busca promover a integração de deficientes visuais, físicos ou intelectuais por meio do esporte, reuniu 1,1 mil estudantes paratletas de todo o país. Do Tocantins, 14 participaram das provas.

Além do atletismo, natação e tênis de mesa, que contaram com a participação do Tocantins, também foram realizadas competições de goalball, bocha, judô e tênis em cadeira de rodas. (Ascom Seduc)

Por: Redação

Tags: Amanda Costa, Esporte, Lorena Fonseca