Opinião

Foto: Divulgação

Liberdade, trabalho e amor! Quem não se lembra desse trecho do hino do Tocantins que muito retrata a força e perseverança do povo aguerrido do nosso Tocantins? É mais que um lema parece mesmo de vera um poema principalmente para este ano onde parece que um vulcão político, social e econômico entrou em erupção no nosso Estado. Tem de tudo um pouco e o cenário de caos que se traça merece uma reflexão de nós tocantinenses filhos oriundos ou adotados deste chão. Que ano hein!! Um processo eleitoral conturbado, mergulhado em acusações, toma lá, dá cá e um resultado na urna que mostrou a decisão de maioria dos tocantinenses. Até aí tudo bem foi feita a democracia e o ano deveria só acabar pra encerrar um governo e começar o outro. Deveria mas não foi o que aconteceu.

Fim de governo é sempre um fim de governo mas o Tocantins vive mergulhado num SOS que vai desde a saúde, passando pela Educação, estacionando na Segurança Pública e a população sem direitos básicos garantidos. O motivo alegado: frustração de receita, gastos acima do limite com pessoal e por aí vai... a raiz de maioria dos problemas (falta de combustível para viaturas, falta de medicamentos, refeições suspensas nos hospitais, transporte escolar parado para as crianças da zona rural) estaria então na falta de dinheiro? O que houve com os recursos do orçamento aprovado para este ano? Com as arrecadações? Faltou gestão e planejamento? A curto, médio e longo prazo? A resposta fica para os economistas e técnicos do governo mas as consequências ficam para a população!

Enquanto isso na Assembleia Legislativa, espelho político do Estado, permeia um jogo de interesses por parte de alguns, votações conturbadas de benefícios que uns chamam de pacotes de bondades e outros de justiça para as categorias....o fato é que o cidadão e os servidores de varias áreas estão se perguntando quando tudo voltará ao normal. Enquanto uns soltam fogos comemorando aumento e promoções que lhe são de direito os pacientes com câncer esperam lá em Araguaína que a máquina de radiografia seja logo consertada para continuarem a luta contra um dos maiores males da humanidade: o câncer! Enquanto deputados levam o debate para o lado político e tentam apontar de quem é a culpa os servidores vivem navegando na incerteza se vão passar o natal com seus pagamentos no bolso. É preciso valorizar categorias mas olhar como um todo a situação do povo do Estado de Arraias a Esperantina. O Tocantins não foi feito para dar errado!

É lamentável a situação que nosso Estado está nesse final de ano. O desejo dos tocantinenses nesse momento é que o Tocantins entre no eixo, que pare de ir pro Jornal Nacional só por coisas negativas! O povo quer se sentir bem cuidado nos direitos mais básicos. O polêmico deputado José Bonifácio (PR) disse dia desses que o Estado é uma piada e que deveria ser devolvido a Goiás. Pode não deputado! Não podemos desistir do Tocantins é preciso que alguns desçam do palanque e voltem para o parlamento para a condição de representante dos que os elegeram e que cada órgão e poder cumpra com sua responsabilidade e dê a resposta que o povo merece.

O que falta é todos os agentes públicos, independente de partidos, de paixão política, entenderem que o povo está pouco se lixando pra quem vai gritar mais na tribuna da Assembleia ou vai dizer a palavra mais inusitada ou engraçada ou até mesmo quem vai defender mais ou menos governador A ou B...o povo quer de verdade é que o Estado seja tratado com responsabilidade!

É preciso uma força tarefa institucional em prol desse Estado novo que tem jeito sim. O Tocantinense espera e merece de fato um novo ano nesse ano novo que virá! Que essa nuvem passe logo e nosso sol lindo e incandescente volte a brilhar para todos os tocantinenses! É como diz nosso hino: “Tocantins, Tocantins gente forte, fé no porvir!”

*Maria José Cotrim é Jornalista