Estado

Foto: Divulgação Presídio é administrado pela empresa Umanizare Presídio é administrado pela empresa Umanizare

O Ministério Público Estadual (MPE), por meio do Promotor de Justiça Paulo Alexandre Rodrigues de Siqueira, instaurou na quinta-feira, 04, dois Procedimentos Investigatórios Criminais com o objetivo de apurar o caso de fuga de dois reeducandos e a morte de outro interno da Unidade Prisional Barra da Grota, no município de Araguaína, no Norte do Estado.

Nos documentos, o promotor de Justiça questiona o motivo da não abertura de procedimentos administrativos internos por parte da empresa Umanizzare, responsável pela gestão da unidade prisional. “Demos um prazo de 10 dias para que a empresa apure os casos, bem como que sejam ouvidos e identificados os companheiros de cela e agentes da Umanizzare em serviço no dia 25/11, data da morte do reeducando Wesley Pereira Soares”, disse Paulo Alexandre.

O Promotor de Justiça expediu, também, recomendações para que a Secretaria de Segurança Pública adquira 300 tornozeleiras eletrônicas e a instalação de bloqueadores de celular no entorno da unidade prisional. “Procuramos combater os grupos criminosos e humanizar o cumprimento de penas”, disse Paulo Alexandre. (Ascom MPE)