Polí­tica

Foto: Divulgação

Após discurso polêmico do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) na última terça-feira, 09, endereçado a colega Maria do Rosário (PT-RS) onde afirmou que não a “estupraria” por não merecer, a deputada Dorinha Seabra (Democratas-TO) comentou o caso ao Conexão Tocantins nesta quarta-feira, 10. Dorinha manifestou repúdio à fala, que segundo ela, foi irresponsável e criminosa.

A fala do deputado no plenário da Câmara foi a seguinte: “não saia, não, Maria do Rosário, fique aí. fique aí, Maria do Rosário. Há poucos dias você me chamou de estuprador no Salão Verde e eu falei que eu não estuprava você porque você não merece. Fique aqui para ouvir", afirmou Bolsonaro.

Por não ser a primeira vez que Bolsonaro discursa grosseiramente contra Maria do Rosário, que é ex-ministra de Direitos Humanos, Dorinha afirmou ao Conexão Tocantins que o deputado foi grosseiro. “O deputado Bolsonaro vem assumindo posições e falando de maneira desrespeitosa em diversas situações a deputada Maria do rosário. [...] ele fez uma referência grosseira a deputada, o fato dela não merecer, como se estupro fosse uma coisa desejada por nós mulheres, como se estupro fosse algo que, na verdade, fosse uma prática normal e até correta. Como se assumisse que era estuprador e que ela não seria estuprada porque não merece ou não lhe atrai ou de alguma forma dessa natureza”, se posicionou.

A deputada informou ao Conexão Tocantins que a bancada feminina realizou uma representação formal, procurou o presidente da casa e irá pedir formalmente para que a Comissão de Ética analise. “O ocorrido no plenário ontem  em relação a deputada Maria do Rosário foi desrespeitoso como ser humano, como mulher . [...] Não adianta ele pedir desculpa na comissão de ética, ele já é reincidente e agora foi mais longe porque estupro é crime, não é só violência ou desrespeito. Nós queremos uma posição. A bancada e eu como deputada repudiamos a fala irresponsável e criminosa dele”, frisou. 

Jair Bolsonaro

Em entrevista ao Terra, o deputado Jair Bolsonaro tentou explicar o porquê de sua posição em plenário. O deputado explicou que a sua rixa com a petista é antiga e disse que as pessoas não sabem o que exatamente ocorreu na Câmara. “Quando eu fui para a tribuna, eu falei para ela não ir embora, pois ela tentou burlar o regimento depois de falar um monte de bobagem. Há pouco, tinha me acusado de estuprador”, afirmou sobre o fato de ela se encaminhar para deixar o plenário durante a discussão. "E falei que não ia estuprá-la porque ela não merece. Apenas isso, é uma briga antiga que a gente tem”, completou.