Geral

A Odebrecht Ambiental | Saneatins e a Prefeitura de Porto Nacional apresentam para a comunidade neste dia 10 de dezembro, quarta feira, o conjunto de obras que beneficiará mais de 2400 moradores dos bairros Jardim Querido, Santa Helena, Centro Histórico, Centro, Jardim Brasília, Setor Garcia, Alto da Colina, Vila Porto Imperial, Vila Nova e Setor São Vicente.

O evento tem como objetivo esclarecer as dúvidas da população sobre o cronograma de obras e áreas que serão atendidas. Além disso, a Companhia de Teatro da Odebrecht Ambiental | Saneatins se encarrega de reforçar o trabalho de educação ambiental da empresa, mostrando a crianças e adultos a importância do tratamento da água e da coleta e tratamento do esgoto na prevenção de doenças de veiculação hídrica e preservação do meio ambiente.

"Porto Nacional já possui um índice de esgotamento sanitário avançado em relação ao Tocantins e aos municípios brasileiros, com 63% de cobertura. Este novo ciclo de obras permitirá que ultrapassemos a casa dos 80% já em 2015", explica Rosilene Fátima da Silva, Gerente Regional da Odebrecht Ambiental | Saneatins.

A Gerente explica que o apoio da população para o sucesso do novo ciclo é essencial, seja no período de obras ou após as mesmas. "É importante tornar o cronograma público, uma vez que as obras trazem um pequeno desconforto, como poeira e interdição de vias. Mas o benefício é muito maior e levará mais qualidade de vida a toda população portuense", explica.

Rosilene afirma ainda que, mesmo após a conclusão da implantação das redes, os moradores devem aguardar o contato da empresa para interligar suas casas. Assim, equipes da Odebrecht Ambiental | Saneatins passarão em cada residência indicando a forma correta e o período adequado de conectar as redes internas ao sistema coletor.

Todo esgoto coletado nesse novo ciclo será tratado na Estação de Tratamento de Esgoto Francisquinha. Nos 47 municípios operadores pela Odebrecht Ambiental | Saneatins, 100% do esgoto coletado é tratado antes de retornar à natureza. (Ascom Odebrecht)

Por: Redação

Tags: Odebrecht, Rosilene Fátima da Silva