Polí­cia

A PRF lança a partir de hoje, 12, em todo o Brasil a Operação Rodovida. Trata-se de um esforço governamental envolvendo União, Estados e Municípios para fazer frente a violência no trânsito nas rodovias federais durante as comemorações de final de ano, férias escolares de janeiro e Carnaval, ocasião em que milhões de brasileiros pegam a estrada.

A ação alia forças buscando a redução da gravidade dos acidentes de trânsito por meio de ações integradas entre PRF, polícias civis e militares dos estados e órgãos municipais de trânsito. Na esfera policial, a PRF intensificará as ações de fiscalização, focada principalmente nas ultrapassagens, excesso de velocidade, consumo de álcool, atropelamento de pedestres e trânsito de motocicletas. Noutra frente, os ministérios da Justiça, Cidades, Transportes e Saúde estarão com companhas publicitárias de conscientização no ar, em rede nacional.

Na avaliação da PRF, a maioria dos brasileiros se deslocou para o feriado de Natal durante o final de semana passado. A expectativa é de que o movimento diminua próximo ao Natal e volte a crescer no Réveillon. “O feriado de Natal tem uma característica bem peculiar, é marcado por encontros familiares. Por esse motivo o fluxo é maior dos grandes centros em direção ao interior, ao contrário do Réveillon, quando os destinos mais procurados são principalmente os grandes centros e principalmente as cidades litorâneas”.

Entre janeiro e novembro de 2013, a Polícia Rodoviária Federal registrou nos 70 mil quilômetros de malha federal um total de 169.125 acidentes, que resultaram em 7.520 mortes e 93.003 feridos. Os campeões de acidentes nas rodovias federais, que representam 5% de toda a malha rodoviária brasileira, de cerca de 1 milhão de quilômetros, são as ultrapassagens, o excesso de velocidade, os atropelamentos e os acidentes com motocicletas, principalmente em áreas urbanas.

Em BRs, a ocorrência mais letal é a colisão frontal. Embora represente apenas 3% dos acidentes, responde por 32% dos óbitos. No ambiente das BRs, as causas dos acidentes estão diretamente relacionadas ao comportamento dos motoristas. É o que mostra o mapa da fiscalização. Das 3.019.185 multas aplicadas pela PRF de janeiro a novembro de 2013, 713.589 (23,3%), foram por excesso de velocidade. Em seguida vem a ultrapassagem, com 309.311 autos de infrações preenchidos, o que representa pouco mais de 10% do total.

Tocantins 

Entre janeiro e novembro de 2014, a Polícia Rodoviária Federal, no estado do Tocantins, registrou nos 1372 quilômetros de malha federal fiscalizada um total de 1.178 acidentes, que resultaram em 109 mortes e 936 feridos. Os campeões de acidentes nas rodovias federais, que representam aproximadamente 20% de toda a malha rodoviária pavimentada no estado do Tocantins, são as ultrapassagens associadas ao excesso de velocidade, que juntos respondem por quase 40% dos acidentes com vítimas fatais.

Durante a operação haverá ações conjuntas com  a participação da Polícia Militar  do Tocantins e de outros órgãos de Segurança Pública.

Operação Rodovida 1ª Etapa – Dados 2013-2014

Rodovias Federais no Estado do Tocantins – Período: 12/12/2013 a 31/01/2014

 

Acidentes

Feridos Leves

Fer. Graves

Total Feridos

Mortos

Quantidade no período

201

100

78

178

18

Taxa por cem mil veículos

24,5 %

12,2 %

9,5 %

21,7 %

2,2 %

Frota Nacional de Veículos - Jan/2014: 82.060.911 veículos – Fonte: Denatran

É importante ressaltar que policiais rodoviários federais trabalham diuturnamente nos trechos com maior incidência de ocorrências, provocando a migração desses pontos pela redução da gravidade dos acidentes. A Operação integrada prevê um trabalho simultâneo de vários órgãos do sistema nacional de trânsito, cada um em sua área de atuação, num esforço mútuo buscando diminuir as ocorrências de acidentes nos locais previamente indicados como os mais perigosos.

A concepção da Operação Rodovida leva em consideração o comportamento dinâmico do trânsito para determinar a estratégia a ser utilizada. A PRF monitora constantemente a migração dos locais com maior índice e gravidade de acidentes e, desse modo, planeja as ações baseando-se nas estatísticas produzidas, que informam com exatidão os horários e pontos mais críticos.

Apesar de trabalhar na prevenção e fiscalização de todos os tipos de infrações de trânsito, a Polícia Rodoviária Federal dará atenção especial às atitudes dos condutores que mais contribuem para a gravidade dos acidentes: excesso de velocidade, ultrapassagem, embriaguez ao volante, pedestres e condução de motocicletas.

► Excesso de Velocidade:

O excesso de velocidade está diretamente relacionado à gravidade dos acidentes em BRs, sendo muitas vezes a causa principal. Também contribui para a ocorrência de outros acidentes que influenciam diretamente na curva de violência, como saídas de pista, capotamento e colisões, entre outros. A velocidade excessiva, além de aumentar a probabilidade de acidente, eleva a gravidade dos que restam feridos.

Orientações da PRF:

O condutor deve respeitar os limites de velocidade estabelecidos para a via e obedecer as placas de sinalização; aonde não existir sinalização ou onde esta estiver prejudicada, deve manter velocidade compatível com as condições da via; Quanto maior a velocidade, maior é o risco e mais graves serão os acidentes.

► Ultrapassagem:

A ultrapassagem é a manobra que mais exige atenção do condutor e precisa ser realizada com toda a prudência, de acordo com os procedimentos regulamentares, pois favorece a ocorrência do acidente mais grave: a colisão frontal.

Orientações da PRF:

Ultrapassar sempre pela esquerda e apenas em trechos permitidos; Antes de iniciar uma ultrapassagem, certificar-se da distância e da visibilidade do veículo que pretende ultrapassar e dos que vêm em sentido contrário; Se outro veículo o estiver ultrapassando ou tiver sinalizado seu desejo de fazê-Io, dar a preferência. Aguardar a vez; Sinalizar toda a manobra com antecedência e não realizar ultrapassagens em trechos de faixa contínua, subidas, descidas, pontes e acostamentos; Atenção redobrada ao ultrapassar ônibus e caminhões. Por se tratar de veículos grandes e pesados, é preciso se certificar que há espaço suficiente para realizar uma ultrapassagem segura; Ao ser ultrapassado, não acelerar, não mudar a trajetória do veículo e manter distância segura do veículo à frente.

► Alcoolemia:

Beber e dirigir no Brasil é infração Gravíssima e, dependendo da situação, crime de trânsito. Em dezembro de 2012 houve um endurecimento da chamada Lei Seca e desde então o condutor flagrado dirigindo sob influência de álcool é penalizado com multa administrativa, suspensão do direito de dirigir e pode até ser preso por crime de trânsito, caso recuse soprar o etilômetro apresentando indícios de ter ingerido álcool.

De 1º de janeiro de 30 de novembro de 2014, a PRF/TO aplicou 11.182 testes de alcoolemia (etilômetro) e flagrou 290 motoristas dirigindo sob efeito de álcool. Destes, 92 foram encaminhados para a polícia judiciária (Civil) por apresentar índice superior a 6 decigramas de álcool por litro de sangue.

Orientações da PRF:

- Não há viagem segura para quem bebe ou usa drogas e dirige;

- Além de ser crime, os riscos para a vida aumentam consideravelmente;

- Conduzir um veículo nas estradas é uma tarefa complexa que exige decisões rápidas, seguras e responsáveis. Álcool e drogas diminuem o reflexo, provocam sonolência, perturbação na visão e nos sentidos;

- Se for dirigir, não beba e nem utilize qualquer substância entorpecente.

► Motocicletas:

Estudos e dados estatísticos apontam o aumento do número de vítimas fatais de acidentes com motos no trânsito. As principais causas são os procedimentos de risco que os próprios condutores realizam. Nos 11 primeiros meses de 2014, ocorreram 211 acidentes envolvendo motociclistas nas rodovias federais, ocasionando 28 mortes. Esse número corresponde apenas aos óbitos registrados no local do acidente, pois o policiamento perde o contato com a ocorrência passadas 48 horas;

Orientações da PRF:

- Usar sempre capacete;

- Manter distância das laterais traseiras dos veículos, eliminando assim o chamado “ponto cego”; Antes de trocar de faixa de rolamento ou ao aproximar-se de um cruzamento, usar os retrovisores e observar atentamente o local;

- Não trafegar próximo a caminhões. O deslocamento de ar produzido por esses veículos pode desestabilizar a motocicleta;

- Não circular com o farol apagado, pois dificulta a visualização da motocicleta pelos veículos que estão em sentido contrário;

- Não trafegar pelo acostamento em nenhuma hipótese. Se precisar, parar fora da pista;

-Respeitar o limite de velocidade e a sinalização do local;

Além da preocupação em garantir aos usuários das rodovias federais segurança, conforto e fluidez do trânsito, a Operação Rodovida também tem o objetivo de cumprir o Programa da Organização das Nações Unidas – ONU “Década Mundial de Segurança Viária 2011/2020”, cuja meta prioritária é reduzir em 50% o número de mortos e de feridos em decorrência de acidentes de trânsito, recepcionado pelo governo brasileiro em maio de 2011, por meio do Pacto Nacional pela Redução de Acidentes no Trânsito – Pacto pela Vida.

Recomendações aos viajantes

Planejamento da viagem – O motorista deve se informar sobre as distâncias que irá percorrer, condições do tempo, pontos de parada, existência de postos de combustíveis e de restaurantes à beira da estrada. Não esquecer documentação pessoal e do veículo;

Revisão preventiva – Providenciar a checagem do automóvel mesmo para pequenas viagens. Faróis acesos para ver e ser visto; pneus calibrados e em bom estado; motor revisado, com óleo e nível da água do radiador em dia. Não esquecer de verificar a presença e estado dos equipamentos de porte obrigatório, principalmente pneu estepe, macaco, triângulo e chave de roda, além dos limpadores de para-brisa e luzes do veículo;

Pausas para descanso – O condutor deve programar paradas a cada 3 horas. Quem se expõe a muitas horas dirigindo fica sujeito ao fenômeno da "hipnose rodoviária", na qual se mantém de olhos abertos, mas sem percepção da realidade à sua volta. Ela vem acompanhada de sonolência, perda de reflexos e de força motora;

Periodo noturno – Evitar circular à noite. Além da redução da visibilidade, é o horário que os criminosos

mais se aproveitam para a prática de delitos;

Previsao do tempo – Procurar se informar sobre as condições do tempo nos lugares por onde vai passar. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) disponibiliza gratuitamente informações sobre o clima no endereço www.inmet.gov.br;

• Sob neblina ou cerração, você deve imediatamente acender os faróis e reduzir a sua velocidade. Lembre-se de que nestas condições o pavimento fica úmido e escorregadio, reduzindo a aderência dos pneus;

• Durante a chuva, ou com o asfalto molhado, o motorista deve aumentar a distância em relação ao veículo que trafega a sua frente. Assim, é possível evitar freadas bruscas que, nessas condições, elevam o risco de derrapagens e aquaplanagens;

• As borrachas das palhetas do limpador de para-brisa precisam estar em bom estado de conservação para que a chuva afete o mínimo possível a dirigibilidade do veículo. Elas devem ser trocadas uma vez por ano;

• Os faróis devem estar sempre acesos;

• O 'pisca-alerta' somente deve ser acionado em caso de parada não prevista ou pane no veículo. Trafegar com o pisca-alerta ligado provoca a sensação de que o veículo à frente está parado, fazendo com que o condutor do veículo atrás freie, com risco de provocar acidente;

• Em caso de chuva forte, o motorista deve procurar um lugar seguro e, assim que possível, parar o carro. Nunca pare sobre a pista e só pare no acostamento se houver alternativa; o ideal é parar completamente fora da via.

Obedeça a Sinalização – Observar as placas que indicam os limites de velocidade e as condições de ultrapassagem. Tais placas não foram colocadas naquele ponto da estrada sem motivo. Nos trechos em obras, o motorista deve reduzir a velocidade e obedecer a sinalização local;

Atenção redobrada – Nos trechos urbanos é imprescindível reduzir a velocidade e aumentar o nível de alerta. Por ocasião dos diversos acessos às vias marginais, muitos moradores dos bairros próximos à rodovia utilizam-se dessas passagens como ligação entre eles. Em muitos locais, as regiões lindeiras às BRs são ocupadas por indústrias, comércios e bairros residenciais bastante populosos. O fluxo intenso de veículos e pessoas contribui sobremaneira para haja grande número de registros de acidentes no trecho.

A Divisão de Saúde da Polícia Rodoviária Federal também faz algumas recomendações para quem

pretende viajar e participar das comemorações como Natal, Reveillon e Carnaval. Conheça algumas:

Durante a viagem, mantenha-se alimentado e hidratado. Dê preferência a alimentos leves e de fácil digestão, como frutas, legumes e verduras. Evite doces, frituras e gorduras. Álcool, nem pensar.

Durma bem antes de qualquer viagem de automóvel. O sono e o cansaço são grandes inimigos da viagem segura.

Telefones de emergência 

PRF – 191

SAMU – 192

PM – 190

Bombeiros – 193

Guia de boa viagem- links úteis 

- Distância entre Cidades: http://www1.dnit.gov.br/rodovias/distancias/distancias.asp

- Mapas Rodoviários: http://www1.dnit.gov.br/rodovias/mapas/index.htm

- Previsão do Tempo: http://www.inmet.gov.br/portal/

- Condições das Rodovias: http://www1.dnit.gov.br/rodovias/condicoes/index.htm

- Consulta ao Código de Trânsito: http://www.denatran.gov.br/ctb.htm (Ascom PRF)

Por: Redação

Tags: Polícia, Polícia Rodoviária Federal