Educação

Foto: Divulgação

A Procuradoria da República no Município de Araguaína (PRM/AGA) recomendou à Universidade Federal do Tocantins que suspenda processo seletivo de ingresso no Programa de Pós-Graduação em Letras, campus de Araguaína, objeto do Edital nº 001/2014-PPGL.

A medida foi aplicada depois que notícias de supostas irregularidades na aplicação das provas seletivas da primeira etapa do processo chegaram a PRM/ARA, através de candidatos. Dentre as irregularidades, foram noticiadas a violação do sigilo das provas, aplicação das provas em desconformidade com o edital, além de privilégios para alguns candidatos.

A Procuradoria solicitou ao Programa de Pós-Graduação as informações e documentos necessários para esclarecer os fatos denunciados. A Coordenadoria do programa enviou alguns esclarecimentos sobre os fatos, mas deixou de enviar cópia das atas relativas à aplicação das provas, informações dos candidatos e cópia das provas respondidas, documentos que poderiam negar a ocorrências de fatos irregulares.

Considerando as notícias de irregularidades e a omissão injustificada no cumprimento da requisição do Ministério Público Federal (MPF), a Procuradoria da República no Município de Araguaína recomendou a suspensão da seleção, inclusive no que se refere a efetivação de matrícula e início das aulas, até a melhor apuração dos fatos.

A Universidade Federal do Tocantins tem prazo de 20 dias para encaminhar resposta da Recomendação ao MPF. (Ascom MPF)

Por: Redação

Tags: Araguaina, UFT