Educação

Foto: Juliano Ribeiro

Durante o ano de 2014, a partir do ensino técnico integrado ao Ensino Médio, 40.385 alunos da rede estadual de ensino do Tocantins tiveram a oportunidade de buscar certificação técnica em várias áreas de atuação profissional. Para atender a estes estudantes interessados em uma formação profissionalizante, a Secretaria de Estado da Educação e Cultura (Seduc) oferece modalidades como o Ensino Médio Integrado (EMI), o Programa Nacional de Integração da Educação Profissional na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (Proeja) e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

Por meio do EMI e do Proeja, a Seduc, em 2014, atendeu a 2.8 mil alunos em todo o Estado com cursos técnicos trabalhados de maneira integrada, concomitante ou subsequente ao ensino médio. Na modalidade integrada, o estudante cursa as disciplinas regulares do ensino médio e as do curso técnico na mesma escola. Na concomitante, o aluno frequenta duas distintas unidades de ensino. Já na subsequente, o curso técnico é oferecido somente àqueles que já concluíram o ensino médio.

Já pelo Pronatec, que tem como meta a oferta de cursos de educação profissional técnica de nível médio e de cursos de formação inicial e continuada ou qualificação profissional, mais de 37.5 mil alunos tocantinenses estão sendo capacitados.

Coordenadora de Educação Profissional da Seduc, Sandra Lima Rezende das Neves acredita que a formação profissionalizante é um diferencial importante a favor dos alunos que realizam os cursos. “É diferente quando há a formação profissional, voltada à capacitação para o mercado de trabalho, mas sem deixar de lado o núcleo comum de disciplinas que compõe o ensino médio regular. Isto gera um amadurecimento cidadão e profissional nos alunos, por isto eles saem com uma vantagem ao concluírem o ensino médio com um certificado técnico profissional, o que dá a eles um acesso mais facilitado ao mercado de trabalho. Inclusive, com os estágios todos realizam ao longo da formação, eles mostram que realmente já podem atuar como profissionais nas áreas em que optaram”, afirma.

Ainda segundo a educadora, a oferta de cursos técnicos profissionalizantes cria perspectivas nas vidas aos alunos e pode ser um elemento norteador na escolha de um curso superior. “O objetivo do Pronatec, assim como do EMI e do Proeja, é capacitar profissionalmente os alunos, pois eles precisam de metas, de perspectivas de vida que os tirem de uma possível situação de vulnerabilidade. Os cursos técnicos atuam desta maneira também, pois os estudantes sabem que podem concluir o curso, conquistar um emprego e ajudar a própria família em casa. Além disto, estes cursos profissionais podem ser uma porta de acesso para a faculdade, servindo como um direcionador, de forma a orientá-los no momento da escolha de um curso superior”, explica.

Cursos

Os cursos técnicos integrados oferecidos pela rede estadual de ensino tocantinense foram escolhidos a partir de um estudo de demanda do arranjo produtivo local, buscando levantar e avaliar a necessidade de cada região e o público alvo. Com base nestes levantamentos, os cursos ofertados atualmente são os técnicos em Açúcar e álcool; Administração; Agente comunitário de saúde; Agricultura; Agroecologia; Agronegócio; Agropecuária; Aquicultura; Comércio; Enfermagem; Guia de turismo; Informática; Informática para internet; Instrumento musical; Logística; Redes de computadores; Transações imobiliárias; Suporte e manutenção em informática; e Zootecnia. (Ascom Seduc)