Estado

Foto: Divulgação

O novo governo recebeu a máquina com o andamento de vários certames e a previsão de outros para este ano. Conforme o Conexão Tocantins anunciou em primeira mão, o certame da Polícia Civil deve ocorrer ainda este ano e deve prover mais de 2 mil vagas já que o novo comandante, Coronel Glauber já disse que o efetivo é reduzido e a prioridade será ir para as ruas para dar mais segurança ao cidadão.

Na expectativa para o certame da Polícia Militar alguns candidatos que fizeram o último certame no ano de 2013 já se manifestaram sobre a possibilidade de aproveitamento dos que ficaram fora do número de vagas porém o Comando ainda avalia em que condição será feita o novo certame.

Na área do Quadro Geral o governo anterior prorrogou o concurso realizado em 2012 por mais dois anos e ainda aumentou o cadastro reserva. Além disso a gestão anterior convocou vários aprovados para tomar posse neste mês. Os atos que tratam do certame do Quadro Geral estão sendo avaliados pela comissão de análise de pessoal para averiguar se os cofres públicos comportam o ingresso dos novos servidores.

Nesta terça-feira, 6, aprovados relataram ao Conexão Tocantins que não estariam conseguindo tomar posse na Secad porém a pasta informou que tudo corre normalmente.

Defesa Social

O certame da Defesa Social realizado em dezembro pelo governo anterior também está sendo avaliado pela atual gestão que está se inteirando dos detalhes. Segundo informações apuradas pelo Conexão Tocantins o governo anterior não teria pago a Funcab, Fundação responsável pela realização do certame.

O Conexão Tocantins procurou o governo e foi informada que até o momento o cronograma estabelecido pelo edital segue sem alterações. O certame prevê  1.217 vagas. Foram mais de 42 mil inscritos no certame que terá ainda teste físico para alguns cargos.

O concurso teve alguns questionamentos por parte de candidatos que alegaram flagrante de uso de celular em algumas salas. A Funcab negou e disse que não houve nenhuma irregularidade constatada.

A Funcab informou ao Conexão Tocantins que divulgará nesta quarta-feira, 7, as notas da prova objetiva, a resposta aos recursos impetrados e ainda a convocação para o teste de aptidão física que segundo a empresa deve ser realizado de 14 a 18 de janeiro com resultado dia 26.

Polícia Civil

Outro certame que espera andamento é o da Polícia Civil. Cerca de 200 Aprovados  encaminharam nota onde afirmam esperar uma resposta do Novo Governo. Falta ser realizada a segunda etapa do Curso de formação.

Devido ao limite de vagas oferecidas no concurso, os candidatos não foram convocados para a próxima etapa, o que, segundo os aprovados,  dificulta um posterior Aproveitamento dos mesmos.  Segundo ainda os candidatos, o quantitativo de vagas oferecidas no certame seria muito aquém das necessidades de pessoal do órgão.

Como o Conexão Tocantins já informou a Defensoria Pública do Estado do Tocantins, expediu ao Novo Governo, recomendação para que sejam feitas as adequações necessárias para o Aproveitamento destes candidatos, com o prazo de Resposta até dia 19 de Janeiro.

“Os Candidatos acreditam que o Novo Governo possa resolver esta Situação, o Governador havia feito em Campanha a Promessa de Colocar a Segurança Pública em Prioridade, e já no seu primeiro dia de trabalho, iniciou isto ao anunciar um futuro concurso para a Polícia Militar do Estado. Os Candidatos Citam a Própria promessa do atual Governador, de aumentar o Efetivo policial em seu governo, em no Mínimo 1.200 Policiais”, se manifestou a comissão.

Saúde e Educação

O governo anterior tinha anunciado a intenção de fazer um novo concurso da Saúde porém o novo governo ainda não se manifestou a respeito. Na área da Educação, segundo o Conexão Tocantins apontou junto ao novo secretário da pasta, Adão, não há previsão de novo certame na área mesmo com déficit nas contratações de professores, índice considerado normal com relação a outros estados.

O secretário de Saúde Samuel Bonilha comentou o assunto ao Conexão Tocantins e disse que a intenção é substituir os 3 mil contratos das pasta por concursados.

“O Estado gasta uma quantidade enorme de recursos para capacitar os servidores contratados e eles vão embora levando o conhecimento”, afirmou. Ele disse que dentro das condições possíveis que a Secad determinar pretende viabilizar um novo certame ou aproveitar o que está em vigor se estiver dentro das condições legais. “A intenção é colocar os concursados”, disse.