Estado

Foto: Divulgação

O pedido de investigação e de cassação do diploma do atual governador Marcelo Miranda e da vice Claudia Lelis por parte da Procuradoria Eleitoral não causa nenhuma instabilidade política ao atual governo segundo o secretário de Articulação Polícia, Paulo Sidnei. Em entrevista ao Conexão Tocantins ele afirmou que infelizmente o grupo já sabia das tentativas de atrapalhar o governo.

“Infelizmente já estamos acostumados a tentarem impedir a candidatura do Marcelo. Já sabíamos das artimanhas para tentar atrapalhar o governo do Marcelo mas estamos muito tranquilos e o que tiver que ser feito na defesa tudo será feito”, frisou se referindo á defesa jurídica do governador no caso. O próprio advogado de Marcelo, Solano Donato já disse ao Conexão Tocantins que não vê fundamento na ação da Procuradoria.

Sidnei falou que o foco do governo no momento é a situação que o Estado se encontra. “A gente já sabia que administrativamente estaria muito complicado e desarrumado porém está pior do que imaginávamos. Temos muita demanda reprimida em todas as áreas e vamos resolver com equilíbrio e planejamento”, frisou.

Estratégias políticas

Sidnei vai se reunir nesta terça-feira, 13, com o governador Marcelo Miranda para definir a estratégia política da atual gestão. “ Amanhã vou sentar com o governador para montarmos a estratégia na área política”, frisou.

Sobre os apoios na Assembleia Legislativa e ainda a eleição para a mesa diretora da Casa de leis, Sidnei afirmou que vai conversar com todos os parlamentares principalmente com a bancada. “Vamos ter boa relação com todos os órgãos principalmente com a Assembleia que representa a sociedade inteira, vamos sentar com a bancada e conversar com todos para que o interesse público esteja acima de tudo”, frisou.

Na base do governo há pelo menos quatro candidatos à presidência da Assembléia: Paulo Mourão (PT), Nilton Franco (PMDB), José Bonifácio (PR) e Toinho Andrade (PSD). “ O governo tem a compreensão que isso é prerrogativa da Assembleia, todos os nossos candidatos são legítimos e se pudermos colaborar para que as coisas se afunilem vamos cuidar desse entendimento”, frisou.

Salários

Paulo Sidnei comentou ainda que a atual gestão conseguiu resolver o primeiro impasse que foi o pagamento atrasado da folha de dezembro. “ O governo fez todo o esforço do mundo para pagar essa folha e o impacto dela será em quatro vezes e o sacrifício é da sociedade inteira porque teremos que destinar recursos de áreas inteiras para pagar a folha e fechar todas as torneiras. Sobrou 14 folhas para o governo pagar este ano”, disse.