Educação

Foto: Divulgação

Potencializar a educação investindo no sistema integral é prioridade na gestão do Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado da Educação e Cultura. Políticas públicas voltadas para a introdução de novas experiências no ambiente escolar com a revisão curricular, formação de professores e ensino integrado com universidades públicas já começam a ser articuladas com o mapeamento das unidades da rede estadual de ensino.

De acordo com o secretário da Educação e Cultura, Adão Francisco de Oliveira, a reformulação da educação integral será feita depois de uma ampla discussão, ao longo deste ano, com a proposta de mudar os moldes educacionais hoje desenvolvidos para melhor utilização dos alunos no trabalho de conteúdos, incorporando novas experiências e atividades à sua formação. Oliveira destacou que para efetivar as mudanças na educação integral é preciso validar áreas do conhecimento hoje marginalizadas na experiência curricular, como artes, bem como no envolvimento do aluno em atividades esportivas, potencializando modalidades no ambiente escolar.

“A educação integral implica na formação do ser humano para além da base conteudista, que é uma das suas prerrogativas, para que ele esteja apto a lidar com a vida em suas plenas possibilidades, desde o aspecto emocional afetivo, passando pelo lúdico artístico, físico motor e profissional laborativo”, reforçou o gestor.

Uma das experiências artísticas a serem priorizadas e incluídas no currículo do aluno será a capoeira, devido a incidência significativa de comunidades quilombolas no Tocantins. A proposta é que ela seja também um instrumento para o fomento da história e ensino da cultura afro-brasileira, para melhor compreensão da tradição e existência destas comunidades no Estado.

A ciência na escola é colocada como essencial pela gestão. Da mesma forma, os projetos de pesquisa científica e a reestruturação das unidades, laboratórios e formação do professor farão parte das políticas públicas da Secretaria de Educação e Cultura. O foco será estreitar a relação com as universidades públicas, com projetos de extensão com investigação científica, visando preparar e formar o educando no contato com a academia. O ensino será associado à educação integrada com a experiência profissionalizante, voltada para formação orientada.

Mapeamento

“Vamos fazer o mapeamento das unidades, conhecer o funcionamento e necessidades para reestruturar as escolas, para que elas atendam as demandas, pois muitas não estão preparadas para receber as atividades do contraturno. Vamos criar adequações para as novas experiências que surgirão com a revisão curricular e estudaremos a utilização de outros espaços da cidade, como centros culturais, para atender unidades que não possuem ambiente adequado”, reforçou o secretário Adão Francisco Oliveira. 

O gestor pontuou ainda que a formação de professores também será prioridade e permitirá que eles compreendam e incorporem as perspectivas da educação integral, privilegiando as relações com as universidades públicas do Estado. Ele adiantou que já está em andamento um trabalho neste sentido em parceira com a Fundação Unitins.

“A comunidade tocantinense pode hoje esperar potencialidade da educação na remodelação do ensino, pois precisamos organizar o ambiente escolar para atender de fato a necessidade do ser humano de se formar. E a escola é um processo de ampla formação humana de alunos e professores”, destacou o secretário.

Por: Redação

Tags: Adão Francisco Oliveira