Estado

Foto: Divulgação

Durante a reunião do governador Marcelo Miranda (PMDB) com o secretariado da gestão o peemedebista determinou ao secretário Estadual da Governadoria, Herbert Brito e ao chefe da Controladoria Geral do Estado, Luiz Antônio da Rocha que fizessem a consolidação das informações repassadas pelos titulares das pastas num relatório geral único.

No encontro, que durou horas, o governador pediu ainda as equipes cautela com relação as contratações. “O governador pediu cautela nesse momento com relação às contratações. Houve essa conversa de que a cada civil estaria com um filtro político mas o governador afirmou que o filtro é dele mesmo”, explicou ao Conexão Tocantins o secretário de Comunicação do Estado, jornalista Rogério Silva.

Preocupado com o volume de nomeações, o governador determinou ainda um pente fino nas nomeações. “O objetivo é não extrapolar os limites que ele determinou”, frisou.

A previsão era que as nomeações dos cargos comissionados já definidos pelos secretários saíssem até esta sexta-feira, 23, porém o secretário de Comunicação esclareceu que não há prazo estabelecido para a publicação tendo em vista a análise que vem sendo feita com relação aos cortes na estrutura.O atual governo deve fechar o mês com poucas contratações.

O governador Marcelo Miranda ouviu dos secretários a situação delicada de cada pasta principalmente com relação ás dívidas deixadas pela gestão anterior. Com relação às nomeações, as pastas trabalham com equipe enxuta já que a gestão anterior extrapolou os limites com gastos de pessoal e a folha tem consumido grande parte dos recursos do Estado.

Prioridades

As principais pastas do governo já divulgaram as prioridades neste momento inicial. A Educação pagou ontem o primeiro repasse às escolas e se prepara para o início do ano letivo bem como para a contratação de professores de acordo com a demanda. Na Saúde, o secretário Samuel Bonilha também abriu contratação para médicos especialistas e toma as primeiras medidas para o abastecimento dos hospitais.

Em todas as pastas o governo faz auditorias e análises de contratos em andamento deixados pela outra gestão bem como cessões e outros atos. O primeiro mês é de tentar arrumar a casa e resolver os principais problemas.

A reunião com os secretários deve ser quinzenal.