Polí­cia

Na noite do último sábado, 31, uma ocorrência de lesão corporal no âmbito de violência doméstica em Paraíso do Tocantins, fez com que a Polícia Civil, por meio da Central de Flagrantes daquele município, localizasse um foragido da justiça, que possui sentença condenatória transitada em julgado pela prática do crime de homicídio, fato ocorrido em 1998, em Tocantínia.

De acordo com informações da PC, por volta das 20h30min do sábado a Polícia Militar foi informada via COPOM, que uma mulher havia sido ferida por arma branca e se encontrava em atendimento no hospital Regional de Paraíso. De posse da informação, os Policiais dirigiram-se até àquela Unidade de Saúde, onde encontraram a vítima a qual já havia sido medicada.

A mulher então manisfestou o desejo de representar criminalmente contra seu agressor e contou aos Policiais que, por volta das 20hs estava em sua residência lavando louça quando seu companheiro, em visível estado de embriaguez e armado com um facão e sem motivo aparente, lhe desferiu um golpe no braço direito o que causou um profundo corte.

Ainda, conforme a vítima, após lhe golpear, seu companheiro proferiu a seguinte frase: “Se você me denunciar a polícia, quando eu sair eu te mato”. Para defender a mãe, o filho da vítima agrediu seu padrasto, lhe causando vários hematomas.

Os Policiais foram até a residência da mulher no sentido de prender o acusado, mas quando chegaram ao local, o indivíduo já havia se evadido. Eles, então retornaram ao hospital e conduziram a vítima a Central de Atendimento da Polícia Civil, onde a mesma registrou Boletim de Ocorrência contra seu agressor. Algum tempo depois, a vítima e seu filho foram conduzidos para casa e, quando lá chegaram, o rapaz notou que seu padrasto se encontrava no interior do imóvel.

Desta maneira, o homem foi preso em flagrante e encaminhado a Central de Flagrantes onde foi autuado pelos crimes de lesão, corporal e ameaça. Contudo, durante o procedimento, o homem disse que havia perdido seu RG e afirmou aos Policiais Civis que se chamava ‘Gilmar Alves da Silva’.

Os investigadores da PC desconfiaram da versão do homem e após uma rápida busca no sistema INFOSEG, constataram que, na verdade, o verdadeiro nome do indivíduo é Vilmar R. da S. e que o mesmo possuí sentença condenatória da Comarca de Tocantínia, por crime de homícidio praticado no ano de 1998, quando assassinou Francisco Batista dos Reis. Ele foi julgado pelo crime e, desde o ano de 2013, era considerado foragido da Justiça.

Com base nas evidências, o delegado Cassiano Ribeiro Oyama deu cumprimento ao mandado de prisão preventiva e, após os procedimentos cabíveis, o indivíduo foi recolhido à carceragem da Casa de Prisão Provisória de Paraíso onde permanecerá a disposição do Poder Judiciário. (Ascom SSP)