Campo

Foto: Divulgação

O Governo do Estado e a Prefeitura de Palmas, por meio do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural, respectivamente, vão traçar um perfil atual da produção para elaboração de novos projetos, no sentido de promover uma assistência técnica mais eficaz para os produtores da agricultura familiar. Técnicos das duas pastas visitaram 612 pequenas propriedades rurais no município de Palmas, coletando informações sobre as atividades executadas, além de dados sobre os imóveis.

A ação, denominada Blitz da Produção, foi realizada durante nove dias e encerrada nesta semana, contando com a participação de zootecnista, médico veterinário, engenheiro agrônomo, técnico agrícola, engenheiro ambiental, engenheiro de pesca, estagiários e guias.

De acordo com o zootecnista do escritório local do Ruraltins, de Palmas, Luciano Soares da Costa, desde o inicio dos trabalhos, os produtores responderam a um questionário, receberam orientações relacionadas às atividades desenvolvidas nas propriedades e informações sobre as ações desenvolvidas pelo órgão, a exemplo do crédito rural e Programa de Aquisição de Alimentos (Compra Direta).

“Cada agricultor pode comercializar até o limite de R$ 6.500/ano, para o programa Compra Direta. Até o próximo dia 10 de fevereiro vamos cadastrar os agricultores. Os interessados em participar basta procurar um dos nossos escritórios, que vamos estar prontos a atendê-los”, ressaltou.

O pequeno agricultor Erotides Costa Rodriques, é dono de uma propriedade de 12 hectares, na região de Taquaruçu, onde produz hortaliças, jiló, maxixe, quiabo, pimenta, dentre outros produtos. Sua intenção é ter acesso ao Compra Direta, para aumentar a renda familiar.

“Sempre quis participar do programa, mas não sabia como. Agora, depois das orientações que recebi, vou me cadastrar no Ruraltins para ser beneficiado”, disse satisfeito o agricultor.

Para o diretor municipal de Desenvolvimento Rural, Eurijan Martins Barros, a partir desse levantamento será possível despertar nas comunidades o interesse em diversificar a produção, que atualmente gira em torno das lavouras de milho, feijão, mandioca e hortaliças folhosas.

“A região tem potencial para outras culturas, como cenoura, berinjela, repolho, avicultura e piscicultura. Esses produtos tem grande aceitação no mercado e não estão sendo explorados”, pontuou o diretor.

A Blits da produção, está em sua segunda edição e é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural, em parceria com o Ruraltins. (Ascom Ruraltins)