Estado

Foto: Divulgação

Os policiais civis do Estado farão Assembleia Geral da categoria nesta próxima terça-feira, 10, a partir das 16 horas. A categoria vai discutir indicativo de greve para possível paralisação já na sexta-feira, 13. “O governo ficou de fazer um posicionamento para a categoria e não deu até agora. Estamos aguardando na esperança que sejamos chamados para conversar hoje”, frisou o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Tocantins (Sinpol), Moisemar Alves Marinho.

A categoria cobra o pagamento do realinhamento conforme lei publicada no Diário Oficial do Estado. Segundo o Sindicato o governo ficou de fazer um estudo de impacto econômico sobre a possibilidade de pagamento já na folha de janeiro que será repassada nesta quinta-feira, 12. “Até agora não tem previsão de incluir na folha ou não e o Sindicato precisa dar uma resposta para os policiais”, frisou Marinho

O presidente disse ainda que o impacto do pagamento não passa de 7% na folha de pagamento porque, segundo ele, não seriam todos os dois mil policiais que receberiam o benefício. “Vai ser parcelado em quatro anos”, completou.

“A intenção é colaborar com o governo mas não recebemos nenhuma resposta e uma greve na véspera de carnaval é um problema sério”, disse. Para o Sindicato o principal problema atualmente na área é o déficit no quadro de pessoal e as dificuldades e falta de estrutura para investigação.

Um concurso está em andamento para aumentar o quadro porém segundo a SSP informou o andamento para a próxima etapa só será possível após aprovação do orçamento deste ano pela Assembleia Legislativa.