Meio Jurídico

Foto: Divulgação

Cerca de 60 pessoas compareceram ao Fórum da Comarca de Guaraí, no último dia 10, para acompanhar o primeiro Tribunal do Júri Popular realizado na nova sede do Poder Judiciário, inaugurada no final de janeiro.

No Tribunal do Júri de número 34, o Conselho de Sentença formado por sete jurados absolveu, por maioria, o vendedor Joaquim Wannutty Dias, acusado de homicídio em 2011, na cidade de Guaraí.

Ele foi denunciado após o inquérito ter concluído que o acusado teria atirado em sua ex-companheira, Millane Katrine Silva de Sousa, no irmão dela, Pedro Feliph Silva de Sousa, que sobreviveram, e em Idegran Miranda Moura, que faleceu em decorrência de dois ferimentos causados pelos disparos. Segundo os autos, após convivência amorosa por um ano, Wannutty e Millane encerraram o relacionamento e ela namorava Idegran quando houve o fato gerador da denúncia.

"O novo prédio representa não apenas mais conforto, mas oferece todas as condições para o trabalho do Judiciário e mais segurança", destaca o juiz Fabio Costa Gonzaga, que presidiu o Júri.

O próximo Júri de Guaraí será dia 25 de fevereiro, às 9 horas, quando será julgado o frentista Junior Rodrigues da Silva. Ele é acusado de ter matado, em 2012, a então companheira Keila Fernandes Oliveira com 13 perfurações de arma branca. Na época, Keila era candidata a vereadora em Fortaleza do Tabocão, onde residiam.