Estado

Foto: Divulgação Houve confronto entre militares e civis durante manifestação em frente ao Palácio Houve confronto entre militares e civis durante manifestação em frente ao Palácio

Centenas de policiais civis do Tocantins reuniram-se em Assembleia Geral na tarde desta sexta-feira, 20 para definir os rumos da categoria no Estado. Se o governo não der uma resposta significativa até a próxima terça-feira, 24, eles pretendem deflagrar greve geral por tempo indeterminado na quarta-feira, 25.

Após a Assembleia, houve uma carreata com carro de som e um princípio de discórdia entre a categoria e os policiais da Casa Militar que tentaram evitar os policiais de ficarem em frente ao Palácio Araguaia. 

“Não tivemos nenhum avanço, o governo não chamou para conversar ainda. Quem tem que se  preocupar em adequar o Estado é o gestor e não o servidor público”, afirmou o presidente do Sinpol, Moisemar Marinho ao Conexão Tocantins

O comitê tem uma reunião marcada com a categoria para a próxima terça-feira, 24, onde pode sair uma negociação.  A categoria quer que o governo volte atrás na decisão de suspender os efeitos financeiros da lei aprovada em abril do ano passada que trata do realinhamento da categoria e que começa a valer este ano. O comitê de análise de pessoal do governo, formado pelos secretários das principais áreas técnicas, abriu os dados do Estado para os sindicatos e chama a atenção para a condição acima do Limite da Lei de Responsabilidade Fiscal que o Estado se encontra com relação aos gastos com pessoal.

Por: Redação

Tags: Greve, Moisemar Marinho, Sinpol