Polí­tica

Foto: Divulgação

O líder do governo, Paulo Mourão (PT) foi à tribuna falar da situação da Unitins com relação á ampliação dos campis. “É preciso agir com seriedade 69% dos jovens de 18 a 24 anos estão fora da sala de aula no Bico do Papagaio”, disse. Concurso de dezembro de 2014 só foi feito para o município de Palmas. “ O Ministério Público disse que o concurso é irregular”, ponderou.

Ele alegou multa de R$ 2 milhões por irresponsabilidade da gestão anterior. “É possível governar o Estado com essa irresponsabilidade e mentindo para nosso povo? Essa casa de Leis é também a casa de fiscalização mas precisamos inserir um momento novo nesse Estado!”, disse.Ele pediu que os deputados destinem as emendas para a instituição.

Segundo Mourão é uma encenação dizer que se cria Universidade sem ter orçamento: “Isso não é ter respeito á sociedade, isso é descompromisso!”, disse. Ele anunciou que a reitora da Unitins, Elizângela vai discutir com os alunos as ações da instituição.

O deputado Amélio Cayres (SD) também foi à tribuna falar do assunto. “É o período de mais de 1200 alunos que estão em jogo”, disse ao pedir que o TAC seja formalizado. “esse índice chegaria a 80% se não tivessem criado a Unitins. Vossa Excelência insiste em dizer que foi feita de forma irresponsável mas essa discussão não é fruto de ordem eleitoreira, que bom seria se todas as obras eleitoreiras desse país fosse no intuito de dar oportunidade a 1200 jovens pobres do Bico do Papagaio. Obras eleitoreiras estamos enjoados de ver por aí”, disse.

O assunto gerou muito debate na sessão desta terça-feira, 24, e os deputados Eduardo Siqueira Campos (PTB) e Ricardo Ayres (PSB ) saíram em defesa da organização da Unitins e defenderam os atos da gestão anterior com relação á instituição.

O debate foi em razão da presença de alunos de vários campis da instituição que vieram à capital conversar sobre a situação da Unitins.

Por: Redação

Tags: Amélio Cayres, Ricardo Ayres