Campo

Foto: Divulgação

Com o objetivo de atrair novos investidores para o Tocantins, a Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins – Adapec, apresentou o potencial de produção de sementes de grãos nas várzeas tropicais, que compreende uma área de cerca de 1 milhão de hectares. O evento ocorreu na noite desta quinta-feira, 26, para um grupo de produtores rurais e pesquisadores paranaenses da Cooperativa Agrária que visitam o Estado.

Em palestra proferida para os visitantes o inspetor agropecuário da Adapec, Luis Henrique Michellin destacou que o Tocantins é o único Estado que possui esta particularidade de produção na entressafra regulamentada por Lei. “Entre as vantagens estão: a alta temperatura da região, baixa umidade, curto período de armazenamento após a colheita, o que permite semente de alta qualidade fisiológica,” disse Michelin.

O plantio nesta região para fins de produção de sementes na entressafra é 100% monitorada pela Agência e por órgãos de pesquisa como a Embrapa e universidades. “Temos uma equipe de mais de 100 inspetores que monitora semanalmente todo o plantio, sem nenhum custo para os produtores, a fim de oferecermos ao país, uma segurança contra o surgimento de pragas no período de vazio sanitário,” ressaltou Luis Henrique.

O presidente da Adapec, Humberto Camelo, disse que a visita da Agrária ao Tocantins é uma oportunidade para eles conhecerem os projetos do governo do Estado para o setor, e o potencial de produção do Estado: “As várzeas tropicais tocantinense é uma grande oportunidade de investimentos para a produção de sementes e realização de pesquisas, e a Adapec como órgão de defesa sanitária do Estado, mantém com responsabilidade o controle da produção nesta região por acreditamos que esta área será futuramente a grande exportadora de sementes para o Brasil e o exterior,” finalizou Humberto.

Nas várzeas tropicais são produzidas atualmente sementes de soja, arroz, feijão e sorgo, numa área que vem crescendo a cada ano, saindo em 2008 de uma área de 24 mil hectares para 54.960 hectares em 2014. As sementes produzidas nas várzeas são de referências nacionais, e são exportadas principalmente para os estados das regiões Norte, Nordeste e parte do Centro-Oeste.