Polí­tica

Foto: Divulgação

Após várias denúncias recebidas pela Câmara Municipal de Porto Nacional sobre o encerramento das atividades de necropsia no Instituto Médico Legal - IML do município, o presidente da Câmara, Jefferson Lopes, junto aos demais vereadores, decidiu fazer um ofício demonstrando seu posicionamento contrário a esta ação. Insatisfeitos com a situação, os 13 vereadores não só assinaram o documento como  resolveram levar pessoalmente na tarde desta última quinta-feira, 26, uma cópia ao secretário de Estado de Segurança Pública, César Roberto Simoni de Freitas, e aos deputados estaduais do município, Toinho Andrade (PSD), Paulo Mourão (PT), Valdemar Junior (PSD), Cleiton Cardoso (PSL) e Ricardo Ayres (PMDB).

Na Assembleia Legislativa do Tocantins os vereadores Jefferson Lopes (PDT), Ivan Casca Preta (PTN), Adael (PSDB), Miúdo (PTB), Joaquim do Luzimangues (PSDB), Adelson da Eletromóveis (PSD) e Ronivon Maciel (PT), também protocolaram o ofício e foram recebidos pessoalmente pelos deputados estaduais Toinho Andrade e Valdemar Junior.

Ao receber o ofício e tomar conhecimento da situação do IML de Porto Nacional, o deputado Toinho Andrade, ligou ao secretário Geral de Governo do Estado, Herbert Brito, e acompanhou os vereadores até seu gabinete no Palácio dos Girassóis.

O secretário, que também é filho de Porto Nacional, demonstrou interesse em resolver da melhor forma possível a questão, ao ouvir a solicitação dos vereadores e do deputado Toinho Andrade, em manter o serviço de necropsia no município. Brito esclareceu ainda que o secretário de Segurança Pública do Estado, Simoni,  estaria viajando à Brasília. No entanto, ligou ao secretário executivo, Abizair Paniago, que os atendeu em seu gabinete na Secretaria de Estado de Segurança Pública, acompanhados pelos deputados estaduais, Toinho Andrade e Valdemar Junior.

Desta maneira, os vereadores e deputados explicaram ao secretário a questão do IML e a preocupação deles e da sociedade portuense em geral, que é contrária à retirada do serviço de necropsia do município.

Diante do posicionamento dos deputados e vereadores, o secretário se comprometeu que, “passada a questão da greve da Polícia Civil, vai reunir com os mesmos para discutir o problema do IML de Porto, destacando que até lá,  este não será fechado ”, garante. “Para nós se tiver tudo funcionando bem em Porto, não tem porque trazer pra Palmas, porém temos que garantir que o IML não apenas mantenha aberto, mas que esteja em condições de otimizar a questão da necropsia e para isso, o médico precisa estar devidamente aparelhado e instrumentado, para realizar um bom trabalho o que para nós, é muito mais conveniente”, esclarece Paniago.

Esta foi uma ação importante dos 13 vereadores portuenses que, unidos, demonstraram a força que possui a Câmara Municipal de Porto Nacional, com os deputados estaduais, no sentido de defender os interesses e os direitos da população portuense.